Editorial

Segurança às crianças dentro dos carros

19 de Julho de 2019 - 07h51 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Foi de uma maneira inteligente que o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) decidiram reagir às discussões levantadas pelo Projeto de Lei 3.267/19. O texto enviado pela Presidência da República ao Congresso Nacional prevê, em um de seus artigos, o fim das penalidades aos motoristas que deixarem de usar as cadeirinhas e outros dispositivos de segurança para as crianças.

Pois os três órgãos, ao invés de apenas externar suas opiniões contrárias à ideia, produziram e lançaram o livreto Medicina de Tráfego: transporte seguro de crianças em veículos automotores, uma cartilha informativa aos pais e responsáveis, para compreenderem exatamente o que fazer no momento de levar os filhos para dar uma volta de carro.

A iniciativa, claro, foi usada como argumento para chamar a atenção da sociedade à importância dos equipamentos de segurança. Mais ainda, o quanto pode ser perigoso deixar de usá-los no dia a dia. Números levantados pelo CFM, Abramet e SBP, sobre a exigência do uso de cadeirinhas, previsto hoje no atual Código Nacional de Trânsito (com aplicação de multa e penalidade aos infratores), ajudou a reduzir em 33% o número de crianças vítimas de acidentes de trânsito no Brasil. Segundo o Conselho Federal de Medicina, em 1998 o SUS registrou 1.360 internações de menores de zero a nove anos de idade, enquanto 20 anos depois, o total de vítimas caiu para 549. Além disso, a quantidade de mortes também caiu nesse período: de 346 para 279. Deixar de penalizar quem abrir mão de tal medida, portanto, mostra-se equivocada.

Ao se pronunciarem no lançamento da cartilha, os representantes dos três órgãos foram diretos: manter a regra é fundamental à segurança dos filhos pequenos em deslocamentos no trânsito.

O livreto pode ser acessado na íntegra no site http://www.flip3d.com.br/web/pub/cfm/index9/?numero=30&edicao=4691.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados