Tristeza

Zona Sul ultrapassa a marca de 150 mortes por Covid-19

Só em Pelotas, mais cinco pessoas perderam a luta para a doença; a terça-feira também foi marcada por recorde em número de casos confirmados e em ocupação hospitalar

11 de Agosto de 2020 - 21h02 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Engajamento:  Noeli Schulz participava da campanha Máscaras Cuidativas e procurava levar a proteção a diferentes bairros de Pelotas  (Foto: Divulgação - DP)

Engajamento: Noeli Schulz participava da campanha Máscaras Cuidativas e procurava levar a proteção a diferentes bairros de Pelotas (Foto: Divulgação - DP)

Para os amigos e familiares, ficam o sorriso e a lembrança da disposição em ajudar; a morte ocorreu em menos de dez dias (Foto: Divulgação - DP)

Para os amigos e familiares, ficam o sorriso e a lembrança da disposição em ajudar; a morte ocorreu em menos de dez dias (Foto: Divulgação - DP)

O novo coronavírus não deixa dúvidas: está em aceleração, na Zona Sul. Pior: mostra a cada dia o lado mais duro da pandemia. Nesta terça-feira (11), a região ultrapassou a trágica marca de 150 mortes. Até as 21h, eram 156 vidas abreviadas pela Covid-19. E não são números soltos ou estatísticas. São histórias de vida. Projetos interrompidos. Sonhos que ficam para trás. Famílias que sofrem a cada novo óbito.

Só em Pelotas, mais cinco mortes foram notificadas. As vítimas são quatro homens, com idades de 46, 63, 65 e 88 anos; todos internados no Hospital-Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel). Uma idosa, de 68 anos, hospitalizada na Beneficência Portuguesa, perdeu a batalha para a doença na manhã desta terça. Agora são 41 óbitos em Pelotas.

O dia também foi marcado por um novo recorde: 86 casos positivos foram confirmados e agora são 1,5 mil infectados; 943 considerados recuperados.

Em Rio Grande, dois idosos não resistiram às complicações da Covid-19: uma mulher de 71 anos e um homem de 93. Nenhum deles possuía outras comorbidades.

A cada máscara entregue, ela buscava derrotar o coronavírus
A cada novo óbito, sorrisos deixam de iluminar rostos, de gente comum, e de todas as idades. Noeli Peixoto Schulz, de 44 anos, é uma dessas figuras, vencidas pela doença. No dia 10 de junho, ela participou do Dia D, de distribuição de máscaras em vários pontos da periferia. Aliás, desde que a Unidade Cuidativa da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) deu início à campanha Máscaras Cuidativas, Noeli juntava-se aos roteiros, com objetivo de ajudar a conter a propagação do vírus.

"Ela era parceira da Cuidativa, muito participativa das nossas ações integrativas", conta a médica Julieta Fripp. Em 2017, começou a frequentar a Unidade de Cuidados Paliativos, para acompanhar o marido, em tratamento oncológico. Em dezembro do ano passado, Irineu foi vencido pelo câncer. O elo de Noeli com a Cuidativa se manteve. Inclusive, foi despertada pelo trabalho que viu desenvolvido com pacientes na antiga Laneira, no Fragata, que passou a realizar curso técnico de Enfermagem.

Queria ajudar a derrotar a Covid-19. Em menos de dez dias, entretanto, perdeu a batalha para a infecção. Foi internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital-Escola (HE-UFPel) em 2 de agosto e faleceu no fim da tarde desta segunda-feira (10). Detalhe: Noeli Schulz não possuía doenças crônicas.

"Ela se doava inteira, tudo que ela fazia era de coração", resume a amiga Maria Rodrigues, "Ela tava sempre sorrindo, sempre de bem com a vida. É assim que ela quer que a gente lembre dela", reitera. Uma lembrança, leve, que ajuda a aliviar os corações dos filhos, de 20 e de 13 anos de idade, dos familiares e dos amigos. O sonho de concluir o curso que a faria uma profissional da Saúde e poder abrir uma clínica geriátrica ficou para trás. Mas as sementes de amor de que ela tanto falava, ficaram, sim, plantadas. Em terra fértil.

Confira o impacto da pandemia na Zona Sul: 156 mortes (*)
- Rio Grande: 85
- Pelotas: 41
- São José do Norte: 11
- Pedro Osório: 5
- São Lourenço: 3
- Canguçu: 2
- Jaguarão: 2
- Piratini: 1
- Santa Vitória do Palmar: 1
- Santana da Boa Vista: 1
- Capão do Leão: 1
- Morro Redondo: 1
- Pinheiro Machado: 1
- Candiota: 1

(*) 48 mortes foram registradas só nos primeiros 11 dias de agosto

Confira o panorama da Covid-19
- Em Pelotas: A ocupação hospitalar bateu novo recorde. Até a tarde desta terça, 69 pessoas estavam internadas; 27 em leitos de UTI. Em live, durante a manhã, a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) garantiu que nos próximos dias o governo deve, finalmente, conseguir ampliar o número de vagas para casos graves. Atualmente, são 35 leitos de UTI específicos para o tratamento de Covid-19; cinco deles pediátricos. A estrutura, portanto, por vários dias tem andado no limite.

- Na Zona Sul: Veja cenário nos 21 municípios da região, até as 21h:

- Rio Grande: 1.805
- Pelotas: 1.500
- São José do Norte: 498
- Santa Vitória do Palmar: 99
- São Lourenço: 94
- Capão do Leão: 89
- Canguçu: 78
- Jaguarão: 75
- Candiota: 58
- Pedro Osório: 42
- Arroio Grande: 39
- Pinheiro Machado: 31
- Piratini: 23
- Chuí: 18
- Herval: 18
- Morro Redondo: 13
- Amaral Ferrador: 13
- Cerrito: 11
- Santana da Boa Vista: 10
- Turuçu: 5
- Pedras Altas: 1
Total: 4.520 infectados

- No Estado: Mais 3,4 mil diagnósticos positivos foram registrados, ontem, e agora são 87.415 infectados em 474 municípios. O total de óbitos chegou a 2.472.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados