Saúde

UTI do Hospital de Caridade de Canguçu é reaberta

Cinco anos após o fechamento, unidade volta a operar com dez leitos de UTI, reforçando o sistema de saúde da região

09 de Setembro de 2020 - 15h49 Corrigir A + A -
Reabertura da UTI foi pela manhã e à tarde já houve a primeira internação (Foto: Divulgação - HCC)

Reabertura da UTI foi pela manhã e à tarde já houve a primeira internação (Foto: Divulgação - HCC)

O Hospital de Caridade de Canguçu (HCC) reabriu a UTI na manhã desta quarta-feira (9). Os dez leitos que agora estão à disposição da comunidade se somam a outros 126 leitos clínicos - sendo dez disponibilizados pelo SUS e referentes a internações pediátricas.

Os leitos de UTI estavam fechados desde 2015. O HCC recebeu o alvará para o funcionamento da unidade da Vigilância Sanitária da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS). Mais de R$ 900 mil foram aplicados para que fosse possível recolocar a UTI Geral Adulto em funcionamento - um recurso arrecadado a partir de um esforço financeiro coletivo entre Poder Judiciário, Rotary Club, emendas parlamentares e o próprio município, através da prefeitura e da Câmara de Vereadores.

O HCC é um hospital referência para a região, abrangendo municípios como Piratini, Morro Redondo e Santana da Boa Vista. Para a gestora da instituição, Miriam Neutzling, a volta do funcionamento da UTI é uma vitória para toda a população. "Era um sonho antigo de toda comunidade, que nos cobrava muito a reabertura da UTI. Com certeza é uma sensação de dever cumprido. Não foi fácil até aqui, tivemos muitos problemas, muitos obstáculos, muitas dificuldades a serem superadas, mas vencemos. O hospital volta a ser referência para a região e estamos trabalhando para ser excelência em atendimento à comunidade em geral. Quem ganha somos todos nós", apontou.

O secretário de Saúde de Canguçu, Eliezer Timm, definiu a reabertura da UTI como um momento de grande emoção e alegria pra toda a comunidade. "Antes nós falávamos de um hospital que estava à beira do colapso, que estava prestes a fechar, sem internação, sem cirurgia, com um Pronto-Socorro atendendo de forma bastante precária e com dificuldades em medicamentos básicos. Hoje a gente fala de uma instituição que está abrindo uma unidade de tratamento intensivo com dez leitos, que recuperou cirurgias, Pronto-Socorro, maternidade, que dá suporte com uma Ala Covid pra vários municípios da Região Sul. Foi um momento gratificante pra todos nós e pra toda nossa comunidade. Através da união de esforços, quando todos trabalham em um mesmo sentido, temos resultados", destacou o secretário.

Foco na manutenção

Para que o HCC possa manter a UTI aberta, haverá um custo considerável. Pensando nisso, uma parceria firmada entre a Câmara de Vereadores e o Executivo deverá garantir o pagamento das despesas por, pelo menos, dois meses. A ideia é que, mais adiante, a direção do hospital possa negociar com o Estado e com a União a liberação de incentivos para a manutenção da unidade.

"A gente sabe que é muito caro manter uma UTI, mas hoje se vislumbra essa possibilidade por uma série de ajustes financeiros que foram ocorrendo ao longo do tempo. Todo esse aporte é possível hoje graças às parcerias, mas também a um trabalho interno de reajuste do setor econômico da prefeitura pra que pudesse ser possível abraçar o HCC", destaco Eliezer.

O secretário destaca ainda a importância do hospital em meio à pandemia para que os moradores de Canguçu possam receber um bom atendimento sem a necessidade de maiores deslocamentos. "Vamos diminuir a 'ambulancioterapia', que é levar para outras cidades de ambulância os pacientes. Temos profissionais excelentes que fazem esse trabalho, mas vamos conseguir dar condições melhores também nesse sentido das transferências. Hoje os canguçuenses poderão ficar aqui no seu município."


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados