Clima

Temporais causam estragos na Zona Sul

Queda de árvores e postes, alagamentos e falta de luz foram registrados em municípios da região

08 de Setembro de 2021 - 19h28 Corrigir A + A -
Estrada do Pontal a Barra ficou intransitável devido ao aumento da Lagoa dos Patos (Foto: Jô Folha - DP)

Estrada do Pontal a Barra ficou intransitável devido ao aumento da Lagoa dos Patos (Foto: Jô Folha - DP)

Resultado dos fortes ventos, queda de postes foram registradas no bairro Obelisco (Foto: Jô Folha - DP)

Resultado dos fortes ventos, queda de postes foram registradas no bairro Obelisco (Foto: Jô Folha - DP)

As chuvas e ventos fortes registrados nos últimos dois dias deixaram um rastro de destruição pela Zona Sul do Estado. Queda de postes e árvores, ruas e pontes interditadas e alagamentos em diversos pontos foram as principais ocorrências. Além destas, cerca de 50 mil pessoas ficaram sem energia elétrica durante todo o dia de ontem na região.

Um dos mais graves danos foi registrado no Corredor do Obelisco, onde sete postes foram ao chão. Conforme relatos de moradores, a queda do primeiro aconteceu por volta das 7h. Na sequência, houve um "efeito dominó". Um dos postes caiu a centímetros do carro de um morador, que preferiu não se identificar. Com a queda, os fios amassaram o teto do automóvel. "Estava dentro de casa quando ouvi um barulho e fui ver. Já estava amassado e, por um espaço mínimo, o poste não caiu direto em cima do carro. Aí sim ia ser perda total", relata. Necessitando do veículo para trabalhar, ele contou com a ajuda dos vizinhos para levantar a estrutura e poder retirar o automóvel. "Era um problema que uma hora ou outra aconteceria. Os postes ficam na beira da valeta, a terra vai se movendo e era óbvio que cairia com um vento mais forte".

Houve ocorrência também de queda de árvore sobre uma casa na rua Barão de Santa Tecla, entre Telles e Dom Pedro II, no Centro. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a situação era estável e a equipe necessitava de um equipamento específico para a retirada, visando não comprometer a estrutura da residência. Segundo o coordenador da Defesa Civil de Pelotas, tenente Paulo Darci dos Santos, duas lonas precisaram ser cedidas para cobrir moradias - uma no Balneário dos Prazeres e outra na Cohab Tablada.

Segundo a Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA), houve registros de quedas de cinco árvores de grande porte no decorrer do dia - na avenida Bento Gonçalves (obrigando a redução do trânsito a meia pista), na avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, na rua Magda Costa, bairro Areal, e em mais duas vias do Laranjal. Segundo a pasta, não houve pessoas atingidas.

Falta de energia

Em diversos bairros de Pelotas foi registrada a falta de energia elétrica. De acordo com a CEEE-D, empresa do Grupo Equatorial Energia, no início da manhã de ontem 50 mil clientes estavam sem energia na Região Sul. Entre os municípios mais atingidos estavam Rio Grande, Jaguarão, Arroio Grande, Pedro Osório, Candiota e Pinheiro Machado. Já no final da tarde, com um novo boletim, o número passou para 39 mil pessoas ainda sendo afetadas e Pelotas estava entre as cidades com mais registros de falta de luz.

Interdição

Também consequência dos ventos, houve registro de avanço das águas da Lagoa dos Patos e a estrada do Pontal da Barra ficou intransitável. No início da tarde, quando a reportagem se deslocou até o local, parte da estrada já permitia passagem, apesar da grande quantidade de lama. Entretanto, a curva que liga à Vila do Pontal estava embaixo d'água. Segundo a Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui), houve necessidade de drenagem, serviço que precisou ser realizado também em bairros como Sanga Funda (nas avenidas Leopoldo Brod, Ildefonso Simões Lopes e Alfredo Theodoro Born), Três Vendas (avenida Zeferino Costa) e no Dunas, com desobstrução do canal de macrodrenagem da rua 20.

Cinco pontes também precisaram ser interditadas na zona rural devido à subida da água dos arroios, que cobriu a passagem. Os distritos afetados foram Quilombo (7º distrito), Rincão da Cruz (8º) e Monte Bonito (9º). Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), a pasta seguirá pelos próximos dias avaliando as condições das estruturas para proceder com os reparos, caso necessários.

Também na zona rural, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Gruppelli e do Monte Bonito não prestaram atendimento à população na tarde de ontem devido ao aumento do nível do arroio próximo e à falta de energia elétrica, respectivamente. Já na zona urbana, a UBS Bom Jesus não abriu devido a infiltrações da chuva na rede elétrica. Neste caso, a situação será avaliada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) sobre possível retomada do atendimento.

Danos na Zona Sul

De acordo com a 4ª Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil do RS, a cidade de Jaguarão registrou três casos de destelhamento de casas, além da queda de postes e árvores. Em Camaquã, devido a alagamentos, houve a interrupção de vias rurais. Santana Da Boa Vista não registrou danos, porém o órgão seguia com o monitoramento de rios da região devido ao risco de transbordamento. No município de Santa Vitória do Palmar os prejuízos se mantiveram na queda de árvores. Já em São Lourenço do Sul, até o fechamento da edição, o órgão analisava a necessidade de realocar famílias que moram nas cercanias do Arroio São Lourenço, uma vez que as águas ainda estavam subindo.

Na cidade de São José do Norte, três famílias foram atendidas, sendo duas devido a danos causados por galhos de árvores e a terceira em função do vento. Por fim, em Arroio Grande foi registrada queda de quatro postes e de uma das sinaleiras na região central da cidade. Foram 14 residências com ocorrência de destelhamento. Possíveis estragos nas demais cidades não foram registrados pela Defesa Civil Regional.

Registros de ventos

Rio Grande: 109,5 km/h às 11h10min
Pelotas: 92,6 km/h às 11h
Bagé: 85 km/h às 7h
Pinheiro Machado: 80 km/h às 8h
Santa Vitória do Palmar: 75,6 km/h às 9h
Herval: 75 km/h às 5h
Jaguarão: 71 km/h às 10h15min
Canguçu: 70,2 km/h às 11h

Registros de chuva

Canguçu: 100 mm
Pinheiro Machado: 98 mm
São Lourenço do Sul: 91 mm
Pelotas: 88,4 mm
Pedro Osório : 59 mm
Rio Grande: 41 mm

* Fonte: Sigma Meteorologia


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados