Alerta

Secretaria de Saúde de Rio Grande divulga boletim sobre casos do Novocoronavírus na China

Sendo uma cidade portuária, a pasta já tomou todas as precauções e recomendações da OMS

24 de Janeiro de 2020 - 11h00 Corrigir A + A -
Vírus já matou 26 pessoas. (Foto: TYRONE SIU)

Vírus já matou 26 pessoas. (Foto: TYRONE SIU)

A Secretaria de Saúde de Rio Grande, por meio do secretário Maicon Lemos, divulgou na noite de quinta-feira (23) um boletim informativo que informa a população sobre os casos do vírus que têm sido divulgados na imprensa internacional e que já causaram a morte de várias pessoas na China, tendo sido detectados casos em outros países asiáticos. Trata-se do Novocoronavírus (nCoV). Sendo Rio Grande uma cidade portuária, o secretário tratou de tranquilizar a população e que a pasta adotou precauções e recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), em função do município ter como uma de suas características o recebimento e movimentação de público estrangeiro de diversas nacionalidades.

O documento, a secretaria relata deste o início do surgimento do vírus, em 31 de dezembro de 2019, quando a Organização Mundial de Saúde foi informada de um conjunto de casos de pneumonia de causa desconhecida detectados na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. Em 7 de janeiro, um novo coronavírus (2019-nCoV) foi identificado como o vírus causador pelas autoridades chinesas.

Nos dias 13, 15 e 20 de janeiro de 2020, respectivamente, casos importados de novo coronavírus foram reportados pela Tailândia, Japão e República da Coréia. Até 20 de janeiro de 2020, de acordo com informações publicadas pela OMS, 282 casos confirmados de nCoV foram reportados por quatro países, incluindo China (278 casos), Tailândia (2 casos), Japão (1 caso) e República da Coréia (1 caso). Casos na Tailândia, Japão e República da Coreia foram exportados da cidade de Wuhan, China.

Dos 278 casos confirmados, 51 se encontram em estado grave (dispnéia; frequência respiratória superior a 30 rpm; hipoxemia; radiografia de tórax com infiltrado), 12 estão em estado crítico (parada respiratória; choque séptico; outras falências de órgãos que necessitavam admissão na Unidade de Terapia Intensiva) e 6 mortes foram reportadas pela cidade de Wuhan na China.

Adoção das medidas recomendadas pela OMS e já providenciadas em Rio Grande:
►Notificação da área de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA);

►Notificação da área de Vigilância Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA);

►Notificação às Secretarias de Saúde dos Estados e Municípios, demais Secretarias do Ministério da Saúde e demais órgãos federais com base em dados oficiais, evitando medidas restritivas e desproporcionais em relação aos riscos para a saúde e transito de pessoas, bens e mercadorias;

►Intensificar a vigilância casos suspeitos do nCoV nos pontos de entrada, para notificação imediata aos órgãos de vigilância epidemiológica;

►Definição de caso suspeito Boletim Epidemiológico Vol. 51, nº 01, de 16/01/2020:

►Identificação de indivíduo de qualquer idade – que, a partir de 29 de dezembro de 2019, apresentar histórico de:

*Febre alta (>38ºC); Tosse ou dificuldade de respirar; Uma ou mais das seguintes exposições durante os últimos 10 dias anteriores ao início dos sintomas:

*Contato próximo (cuidou, morou ou teve contato direto com secreções respiratórias ou fluídos corporais) com uma pessoa que seja suspeita ou provável caso de Pneumonia Indeterminada identificada na China;

*Histórico de viagens para uma área com transmissão local recente de Pneumonia Indeterminada identificada na China;

*Histórico de viagens para uma área com transmissão local recente de Pneumonia Indeterminada identificada na China;

Portanto neste momento, a OMS desaconselha a aplicação de quaisquer restrições de viagem e ao comércio, com base nas informações atuais disponíveis para este evento. O organismo internacional não recomenda nenhuma triagem nos pontos de entrada. Toda e qualquer informação recebida pelo governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde, vem sendo atualizada e acompanhada a tempo pelo escritório da Anvisa em Rio Grande e todas as medidas necessárias para enfrentamento da epidemia serão disparadas se necessário.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados