Fôlego

Santa Casa de Rio Grande recebe R$ 14,4 milhões

Dinheiro, originado da Portos RS, será usado para pagar honorários médicos que estavam atrasados

03 de Agosto de 2022 - 19h32 Corrigir A + A -
Hospital usará o valor para pagar os médicos com quem estava em atraso  (Foto: Divulgação - DP)

Hospital usará o valor para pagar os médicos com quem estava em atraso (Foto: Divulgação - DP)

O recurso emergencial extraordinário, aguardado desde fevereiro pela Santa Casa de Rio Grande, finalmente caiu nas contas do hospital. O dinheiro, R$ 14,4 milhões, foi articulado entre diversos órgãos. Prefeitura, Ministério Público Federal, Justiça Federal e Portos RS se envolveram pela liberação, oriunda do Fundo de Recuperação de Bens Lesados do Porto do Rio Grande.

Em nota enviada à reportagem, a Santa Casa informou que a verba será utilizada para os pagamentos dos honorários médicos em atraso, compreendendo as remunerações de cinco meses (março a julho) das categorias CLT, PJ e RPA, pertencentes ao ano de 2022, bem como o 13º salário de 2021. O presidente da instituição Renato Silveira comemorou a finalização de uma dívida apontada como considerável. "Esta é uma vitória conquistada através de muitas mãos, tivemos envolvimento de diversas esferas para que isso se concretizasse." O hospital relembra que operação similar aconteceu no ano passado, quando R$ 16 milhões de fundo perdido foram repassados em abril, sendo usados para quitar dívidas e manter a folha de pagamentos.

Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) e o Sindicato Médico do Rio Grande (Simerg) também celebraram a chegada dos valores. "Isso demonstra que estamos trabalhando por uma solução estrutural e sustentável ao hospital, mas também garantindo a defesa imediata das prerrogativas e direitos dos médicos. É um gesto importante nesse grande esforço de colaboração mútua da Frente Estadual", diz a nota publicada pelas entidades.

Movimento por emenda
O Simers também confirmou um movimento junto à Frente Estadual em Defesa da Santa Casa de Rio Grande por emendas parlamentares. O objetivo é angariar até R$ 15 milhões em verba legislativa dos deputados federais do Rio Grande do Sul. O anúncio ocorreu após reunião com o coordenador da bancada gaúcha no Congresso Nacional, deputado Giovani Cherini (PL).

Segundo o sindicato, o parlamentar assumiu o compromisso de repassar emenda da bancada nesse valor. Eles projetam que o valor possibilitará a implementação de medidas estruturais de reestruturação operacional e administrativa por parte da gestão hospitalar local.

Ganhando fôlego
Em junho, a centenária casa de saúde, cuja dívida chegava a R$ 400 milhões, entrou em regime de recuperação judicial. A partir disso, processos têm os prazos suspensos e o hospital pôde parar de pagar as dívidas, temporariamente. A projeção é de que em até três anos todas as pendências estejam renegociadas e possam estar totalmente quitadas em um período máximo de até 20 anos.

Na última semana, dois acordos garantiram a atuação plena da maternidade da Santa Casa, com atendimentos 24 horas por dia. As parcerias com a prefeitura e Unimed renderão R$ 182 mil mensais à instituição por pelo menos seis meses. Recentemente, a partir do programa Avançar RS, foi cedido aporte de R$ 2,5 milhões pelo governo do Estado buscando melhorar a estrutura da maternidade. O hospital também anunciou a renegociação de contratos com os médicos, passando todos para regime de Pessoa Jurídica, com o objetivo de aliviar os gastos com tributos trabalhistas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados