Zona Sul

Rio Grande terá mutirão de serviços oftalmológicos

Parceria entre Santa Casa e Estado pretende zerar fila de espera e tornar a cidade referência microrregional

14 de Outubro de 2021 - 14h00 Corrigir A + A -
Serviços como consultas, exames e cirurgias começarão a ser realizados ainda no mês de outubro, fazendo com que a espera de milhares de pessoas esteja perto do fim

Serviços como consultas, exames e cirurgias começarão a ser realizados ainda no mês de outubro, fazendo com que a espera de milhares de pessoas esteja perto do fim

Um convênio firmado esta semana entre o governo do Estado, o Complexo Hospitalar Santa Casa do Rio Grande e a Secretaria de Saúde do município pretende reduzir a longa fila de espera por procedimentos oftalmológicos através do Sistema Único de Saúde (SUS). Serviços como consultas, exames e cirurgias começarão a ser realizados ainda no mês de outubro, fazendo com que a espera de milhares de pessoas esteja perto do fim.

Conforme explica a secretária de saúde, Zelionara Branco, dados do primeiro semestre de 2021 apontam que Rio Grande conta com cinco mil pessoas que chegam a esperar anos por algum tipo de atendimento. Do total, 3,8 mil pacientes estão no aguardo por consultas com oftalmologistas por qualquer necessidade, dentre elas refração ou consequências da diabetes. Outros 1,2 mil ocupam a fila para a cirurgia de catarata e 918 esperam por avaliação pré-operatória.

Dentre elas está Aldina Rodrigues. Considerada a paciente mais antiga na fila, aos 76 anos ela possui catarata bilateral e atualmente tem porcentagem mínima de visão. Há quatro anos à espera do procedimento para, pelo menos, um dos olhos, vê na parceria uma oportunidade. "Para mim é muito importante porque só quem tem esse problema pode entender. Quem está passando por isso é muito difícil. A gente depende muito das pessoas, não tem como andar sozinha. Creio que vai melhorar minha vida e vou ficar muito bem", projeta.

Com o acordo, serão ofertadas no mutirão 320 consultas, 2.560 exames e 160 cirurgias. O planejamento aponta que os primeiros atendimentos pré-operatórios começam na última semana deste mês, enquanto as cirurgias na primeira quinzena de novembro. A empresa responsável será a Oftalmopampa e todo acompanhamento será dentro do complexo da Santa Casa.

Próximo de tornar-se referência

O investimento do Estado será de cerca de R$ 200 mil reais mensais entre os meses de novembro e dezembro, com contribuição municipal em serviços considerados complementares, para que sejam disponibilizadas consultas pré e pós-operatórias além dos exames necessários.
Por se tratar de uma portaria que regulamenta apenas o repasse de recursos para processo de mutirão, a qual encerra no dia 31 de dezembro, não houve a possibilidade de selamento de termo de compromisso extensivo que cobrisse o próximo ano. Entretanto, a secretária Zelionara Branco afirma que há um acordo adiantado entre as partes. "Nós estamos montando o projeto para o ano que vem, assim que a portaria de habilitação para o ano for publicada, já irá tramitar o processo para pedir novas etapas do mutirão."

Além de uma extensão do projeto, o Executivo estará enviando ao governo estadual um projeto de habilitação de serviço de oftalmologia ambulatorial e procedimentos de média complexidade, também a serem realizados na Santa Casa. Este será considerado um serviço microrregional e, se aprovado, poderá atender, além de Rio Grande, as cidades de São José do Norte, Santa Vitória do Palmar e Chuí, resultando em um remanejo de teto, tirando os vinte procedimentos mensais, atualmente realizados em Pinheiro Machado, e possibilitando que outra cidade possa utilizar os serviços do município da região da Campanha, considerado hoje referência no setor.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados