Zona Sul

Rio Grande sofre com o furto de materiais elétricos da rede de iluminação pública

A Polícia Civil tem realizado constantes operações na busca pelos receptadores dos produtos furtados

20 de Outubro de 2021 - 19h48 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Muitas ações criminosas colocam em risco também os pedestres e comunidade em geral, deixando avenidas e praças na escuridão (Foto: Divulgação - DP)

Muitas ações criminosas colocam em risco também os pedestres e comunidade em geral, deixando avenidas e praças na escuridão (Foto: Divulgação - DP)

Responsável por toda a parte de iluminação pública em ruas, avenidas e logradouros, a prefeitura de Rio Grande tem sido lesada pelo crescente número de furtos de componentes de redes elétricas na cidade. Conforme a Secretaria de Zeladoria da Cidade (Secretaria de Município de Zeladoria da Cidade), o alvo dos criminosos é sempre o mesmo: os condutores de cobre e o consequente valor deste material no mercado ilegal.

A Polícia Civil de Rio Grande, através da 7ª Delegacia Regional de Polícia, tem realizado constantes operações na busca pelos receptadores dos produtos furtados, visando combater a raiz do problema. Segundo o Comissário de Polícia Vinicius Lucas Moraes, os furtos ocorrem de forma descentralizada, em todas as áreas do município, visando principalmente as redes da CEEE Equatorial, as empresas fornecedoras de TV a Cabo e a Prefeitura de Rio Grande.

Mesmo com todo empenho das forças de segurança, que incluem também a Guarda Municipal e a Brigada Militar nas ações preventivas, muitas ações criminosas colocam em risco também os pedestres e comunidade em geral, deixando avenidas e praças na escuridão – o que também atinge a segurança de transeuntes - além de resultar em grandes prejuízos aos cofres públicos. Segundo dados da SMZC , a média referente aos furtos desde o início do ano de 2021 chega a cerca de 600 metros de cabos por semana. Neste contexto, considerando a bitola da fiação e outros componentes que também são furtados, o prejuízo semanal ao erário pode chegar a, aproximadamente, dois mil reais.

No início deste mês, em uma das mais recentes ações criminosas, uma grande quantidade de cabos, além de lampiões de iluminação temática do cais do Mercado Público e da Praça Xavier Ferreira, foram furtadas. Na tentativa de reduzir estas ações e reduzir o gasto, a Prefeitura de Rio Grande começou a utilizar este ano, dentro de suas possibilidades e limitações, cabos de alumínio para o sistema de iluminação pública. Os canos não possuem o mesmo valor no mercado ilegal e não despertam o mesmo interesse aos criminosos.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados