Rio Grande inaugura educandário neste sábado

Em novo espaço, escola Professor Valdir Castro poderá aumentar o número de vagas para estudantes

20 de Maio de 2022 - 20h13 Corrigir A + A -
A instituição poderá ampliar o número de vagas e terá capacidade para 300 alunos. (Foto: Divulgação - DP)

A instituição poderá ampliar o número de vagas e terá capacidade para 300 alunos. (Foto: Divulgação - DP)

Depois de quase dez anos de obras, o novo prédio da Escola Valdir Castro será inaugurado neste sábado (21), em Rio Grande. Localizado no bairro Santa Rosa, o educandário atende em tempo integral aproximadamente 200 crianças do bairro e arredores, como a Vila Maria dos Anjos, Cidade de Águeda, Cohab IV, Santa Rita de Cássia e Castelo Branco. Com o novo espaço, a instituição poderá ampliar o número de vagas e terá capacidade para 300 alunos.

Além das disciplinas regulares, os estudantes de todos os anos do Ensino Fundamental têm acesso a oficinas de Repertório Cultural, Responsabilidade e Cidadania, Comunicação, Autoconhecimento e Autocuidado, Cultura Digital e Empatia e Cooperação, ofertadas pelos professores para complementar a carga horária e diversificar o currículo. A escola também fornece alimentação e as crianças fazem todas as refeições no local.

A Professor Valdir Castro antes funcionava no antigo prédio da Escola Profissionalizante Assis Brasil, que se encontrava em condições precárias. O novo espaço conta com quadra poliesportiva, biblioteca, vestiários com chuveiros, sala de informática, laboratório e uma sala de recursos para atendimento de alunos com necessidades especiais.

"Essa escola sempre teve um atendimento maravilhoso e agora, com um prédio novo, o trabalho vai ser ainda melhor. É uma realização enorme, não só para os meus filhos, mas para toda a comunidade", diz Tabata Lima, mãe de dois alunos da Valdir Castro. A partir da próxima semana as crianças irão voltar para as aulas em modo presencial.

Para a diretora, Denise Remédios, a inauguração é uma grande conquista para a comunidade. "Estamos em uma zona de vulnerabilidade social e as crianças precisam estar dentro da escola, esse espaço vai ajudar a melhorar ainda mais o serviço que fazemos", afirma.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados