Aumento

Reunião para discutir situação dos pedágios ocorre nesta segunda

Encontro entre políticos e lideranças da Zona Sul com ministro Augusto Nardes, do TCU, será às 17h

30 de Agosto de 2021 - 15h05 Corrigir A + A -

Por: Vitória Leitzke
vitoria@diariopopular.com.br

Desde sábado (28) a tarifa básica está R$ 12,90 (Foto: Jô Folha - DP)

Desde sábado (28) a tarifa básica está R$ 12,90 (Foto: Jô Folha - DP)

*Atualizada às 19h35min

Buscando reverter o aumento na tarifa das praças de pedágio da Zona Sul, aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e aplicado pela Empresa Concessionária de Rodovias do Sul (Ecosul), e cobrar o andamento da auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) no contrato da empresa, uma reunião entre políticos e lideranças da região e o ministro Augusto Nardes foi realizada ontem. Desde sábado uma alteração de 7,63% no preço está em vigência, com a tarifa básica em R$ 12,90.

Segundo o deputado federal Daniel Trzeciak (PSDB), o objetivo do encontro foi mostrar ao TCU que "não se pode autorizar e reajustar uma tarifa de pedágio enquanto não é concluída a auditoria que aponta irregularidades no contrato da empresa". "Nós marcamos uma reunião presencial, tanto quanto o ministro Nardes quanto com o ministro Raimundo Carreiro, para a próxima quarta-feira, em Brasília", conta.

O deputado explica ainda que a auditoria tem alguns embargos de declaração que estão sob responsabilidade de Nardes, enquanto a medida cautelar, de autoria de Trzeciak, contra o aumento da tarifa está designada a Carreiro. Já em relação a essa suspensão da alteração do valor, o TCU afirmou que irá avaliar, entretanto ainda não há um prazo definido para a decisão.

A ANTT já apresentou três recursos desde o início do estudo do TCU, o qual apontou que, até 2026 - ano de encerramento da concessão -, a Ecosul deverá ter um lucro indevido superior a R$ 800 milhões, divulgado em abril de 2020. A solicitação da auditoria foi feita em julho de 2019 pelo então deputado estadual, e hoje prefeito de Rio Grande, Fábio Branco (MDB), e pelo deputado federal Marcel van Hattem (Novo).

Ainda conforme o TCU, em duas décadas o preço do pedágio subiu mais de 500% e hoje supera o dobro do que deveria ser: R$ 6,80 ao invés de R$ 12,90. À época, o tribunal determinou que, em até 180 dias, a ANTT reavaliasse as tarifas em todas as concessões do país, incluindo a do Polo Rodoviário de Pelotas.

Em nota divulgada no fim da semana passada, a Ecosul argumentou que a revisão do valor é prevista no contrato de concessão existente e viabiliza a manutenção e a operação diária dos 457,3 quilômetros de rodovias monitoradas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados