História

Restauração da Capela do Taim na fase final

Construída em 1785, templo é uma das mais antigas edificações do Estado

21 de Janeiro de 2022 - 11h59 Corrigir A + A -
Custo total do projeto é de R$ 2 milhões. (Foto: Divulgação - PMRG)

Custo total do projeto é de R$ 2 milhões. (Foto: Divulgação - PMRG)

As obras de restauro da capela Nossa Senhora da Conceição, localizada no Taim, entraram em fase final. Esta semana uma equipe da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer esteve no local para conferir o andamento dos trabalhos - financiados com verbas repassadas pelo Ministério Público Federal (MPF). O custo total do projeto é de R$ 2 milhões.

Construída em 1785 a capela é uma das mais antigas edificações do Rio Grande do Sul. "Um dos objetivos da visita foi mapear a área a fim de realizar a colocação de totens de identificação referentes a história da capela e seu entorno", diz a secretária adjunta, Valesca Athaídes.

A visita acabou gerando um encontro não programado com o bispo Dom Ricardo Hoepers, o que proporcionou uma troca de informações a respeito tanto do andamento da obra, como dos planos e cronograma previstos pela Mitra Diocesana para a reinauguração do espaço. "O encontro com o bispo nos encheu de esperança de em breve vivenciaremos a inauguração desse patrimônio histórico" afirma Valesca.

O coordenador do Núcleo de Pesquisa, Érico Costa, explica que uma das iniciativas da Secretaria se refere a destacar junto à comunidade a abrangência do projeto de restauro, tanto no que é relativo ao sítio arqueológico, quanto à própria capela. "Um dos nossos objetivos também é realizar um trabalho de educação, conscientização cultural e patrimonial com os moradores do entorno a fim de que sejam multiplicadores das informações sobre este patrimônio para visitantes e turistas", declara.

Projeto de restauro

O restauro da capela Nossa Senhora da Conceição é executado pela empresa Arquium, de Porto Alegre, e os recursos são provenientes de ações civis públicas movidas pelo MPF. Além do prédio, o projeto inclui um Plano Integrado de Gestão, Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade do Núcleo Autônomo do Taim, desenvolvido pela Secretaria de Coordenação e Planejamento, com a colaboração de várias secretarias, além do Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico do Estado (Iphae), da Reserva Ecológica do Taim e da Mitra Diocesana.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados