Segurança

PF realiza exercício operacional simulado na área portuária de Rio Grande

No treinamento foi feito uma simulação de sequestro para testar os protocoços de segurança

16 de Outubro de 2020 - 14h50 Corrigir A + A -
Também foi realizado  exercício simulado de ameaça de bomba.(Foto: Polícia Federal)

Também foi realizado exercício simulado de ameaça de bomba.(Foto: Polícia Federal)

A Polícia Federal realizou, nesta sexta-feira (16), exercícios simulados para atestar a eficácia do Plano de Segurança Portuária na área portuária de Rio Grande. O treinamento foi realizado em conjunto com a Marinha do Brasil, Receita Federal, representante do governo do Estado, Autoridade Portuária e ANTAQ, órgãos que compõem a Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (CESPORTOS/RS), e o TECON.

Durante os exercícios, policiais federais simularam o acesso não autorizado ao terminal portuário para verificar o cumprimento dos protocolos de segurança. Também foi realizada ação simulada de neutralização de ação criminosa na instalação portuária, com a aplicação de técnicas específicas para esse tipo de intervenção policial, e exercício simulado de ameaça de bomba.

Participaram do treinamento policiais federais de Comando de Operações Táticas (COT/PF), do Grupo de Pronta Intervenção (GPI/RS), do Núcleo de Polícia Marítima da Delegacia de Rio Grande (NEPOM), do Grupo de Bombas e Explosivos (GBE) e da Delegacia de Rio Grande, e integrantes da Marinha do Brasil, Receita Federal, Brigada Militar, ANTAQ, Autoridade Portuária e funcionários do TECON. Para a realização do simulado, foram utilizadas uma embarcação, viaturas e um veículo antibombas.

Treinamentos similares já foram realizados nos portos de Santos (SP), Paranaguá (PR), Itajaí (SC) e Fortaleza (CE). A iniciativa visa a análise, a apuração de vulnerabilidades e o fortalecimento das medidas de segurança nas instalações portuárias.

A Polícia Federal, que exerce a presidência da Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (CONPORTOS) no âmbito federal e as CESPORTOS (âmbito estadual) têm orientado seus esforços para a construção de protocolos de segurança adequados aos complexos portuários nacionais e para o cumprimento do Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias (Código ISPS).

O Código, internalizado no ordenamento jurídico nacional pelo Decreto 9.988, de 26 agosto de 2019, exige cooperação e entendimento contínuos e efetivos entre os entes públicos e privados atuantes no universo marítimo e portuário, de modo a detectar ameaças à proteção e tomar medidas preventivas contra incidentes de proteção que afetem navios ou instalações portuárias utilizadas no comércio internacional, por meio da aquisição de conhecimentos e habilidades.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados