Zona Sul

Novo Projeto Político Pedagógico da Casa do Menor de Rio Grande é apresentado

Documento busca atender a nova realidade do jovem rio-grandino

08 de Novembro de 2019 - 20h00 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

O documento apresentado para a Rede Assistencial busca sintonia com uma nova realidade tanto no que diz respeito às crianças e adolescentes como aos responsáveis por elas (Foto: Divulgação - DP)

O documento apresentado para a Rede Assistencial busca sintonia com uma nova realidade tanto no que diz respeito às crianças e adolescentes como aos responsáveis por elas (Foto: Divulgação - DP)

O novo Projeto Político Pedagógico da Casa do Menor de Rio Grande foi apresentado nesta quinta-feira (7) no auditório do Ministério Público. O projeto, junto com as novas diretrizes da instituição, foram explanados pela coordenação da Casa para toda a Rede Assistencial de Rio Grande, incluindo a Secretaria de Município de Cidadania e Assistência Social, representada pela titular da pasta, Ana Fausta e pelo secretário adjunto, Chendler Siqueira.

O documento apresentado para a Rede Assistencial busca sintonia com uma nova realidade, levando em consideração, entre outros aspectos, a mudança ocorrida ao longo dos últimos anos do público atendido pela Casa, tanto no que diz respeito às crianças e adolescentes como aos responsáveis por elas. A secretária de Cidadania de Rio Grande explica que esse diálogo dentro da Rede é fundamental e que a Casa do Menor é uma das instituições com que o município mantém convênio. “Além das duas residências de acolhimento e reintegração da Prefeitura, nós possuímos convênio para disponibilização de vagas também com a Casa do Menor e os orfanatos Raio de Luz e Maria Carmem, então estar à par destas novas diretrizes é fundamental para o trabalho coletivo desenvolvido”, esclarece Ana Fausta.

A Casa do Menor de Rio Grande é uma instituição não governamental, fundada há 31 anos, com o intuito de suprir uma necessidade de acolhimento de crianças e adolescentes em vulnerabilidade social na cidade de Rio Grande. Acompanhando as demandas econômico-sociais da cidade e região, a instituição desenvolve um trabalho pautado nas mudanças que impactam diretamente a assistência social, a saúde e a segurança pública, no que tange a jovens em situações de risco e, também, suas famílias.

O lugar, hoje, é referência especializada no “perfil adolescente”, utilizando métodos eficazes de triagem na tipificação e indicação dos melhores dispositivos de apoio a serem oferecidos para cada um dos que chegam na instituição através do poder judiciário. A missão da Casa é, prioritariamente, assegurar os direitos fundamentais de cada um dos adolescentes acolhidos, como as saúdes física e mental, educação, alimentação, moradia, convivência comunitária e manutenção dos vínculos familiares e referenciais.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados