Combate à pandemia

Lockdown em Pinheiro Machado aumenta alerta na região

Decisão se dá por conta da subida dos casos, enquanto Azonasul solicita flexibilizações ao governo estadual

12 de Maio de 2021 - 20h41 Corrigir A + A -
Decisão se dá por conta da subida dos casos, enquanto Azonasul solicita flexibilizações ao governo estadual (Foto: Silvia Schuma)

Decisão se dá por conta da subida dos casos, enquanto Azonasul solicita flexibilizações ao governo estadual (Foto: Silvia Schuma)

Em diferentes níveis, os 22 municípios da Zona Sul do Estado têm apresentado crescimento do número de casos de Covid-19 durante as últimas semanas. O forte avanço do vírus em Pinheiro Machado, com 15,23% de subida no boletim mais recente divulgado pela Azonasul, aliás, gerou medidas restritivas por parte da prefeitura, que fará lockdown no próximo final de semana. Um sinal de alerta para a região.

A decisão chega dois depois de a Azonasul, após reunião dos prefeitos integrantes, encaminhar pedido de várias flexibilizações no novo modelo de Distanciamento Controlado ao governo estadual, conforme mostrou reportagem do DP. Mas Ronaldo Madruga, prefeito em exercício de Pinheiro Machado, diz que a opção pelo lockdown não vai na contramão dos interesses manifestados pela entidade.

‘’Não podemos misturar as coisas. Uma coisa é flexibilizar os protocolos da região, e outra é o momento atípico e peculiar que acontece em Pinheiro Machado. Acho que não posso prejudicar a região toda pelo meu município. A ideia das flexibilizações é que os municípios tenham autonomia administrativa, vinculando as medidas à oscilação do número de casos. Seguimos lutando pela flexibilização para aplicar protocolos conforme cada situação específica’’, afirma Madruga.

O lockdown em Pinheiro Machado, que deve ser o único da região neste final de semana, ficará em vigor da meia-noite de sábado às 6h de segunda-feira. Farmácias funcionarão apenas em formato tele-entrega, e supermercados não terão liberação para abrir. Postos de gasolina seguem operando, exceto lojas de conveniência.

Outros municípios mantém medidas

Cidade que mais registrou incremento nos casos de Covid-19 na semana do dia 6 de maio em comparação à prévia (15,75%), Arroio do Padre não adotará a mesma ação de Pinheiro Machado. O prefeito Rui Peter afirmou, em contato com a reportagem, que as medidas devem englobar a redução do horário de funcionamento de atividades, encerrando às 22h, e uma maior fiscalização das aglomerações. Segundo ele, o número de casos ativos caiu de 32 para 13 nesta quarta-feira (12).

Já em Santa Vitória do Palmar, que apresentou 7,8% de aumento, o cenário é semelhante. Com 72% de ocupação dos leitos de UTI, o município ampliou o quadro de fiscais de aglomerações, operando em conjunto com órgãos de segurança. Segundo André Nicoletti, procurador da prefeitura, a elevação dos registros de coronavírus tem relação com surtos no presídio da cidade e em alguns estabelecimentos com grande concentração de trabalhadores.

Em Jaguarão, por outro lado, o acréscimo foi de somente 1,54% no último levantamento. ‘’É um conjunto de fatores. O avanço da vacinação ajuda muito, assim como os doble chapas (brasileiros com nacionalidade uruguaia), que recebem a vacina no Uruguai, e a fronteira, com a qual temos uma convivência harmônica. Nossos números são diferenciados em relação a outras fronteiras’’, opina o prefeito da cidade, Favio Telis, que também é coordenador do Comitê Técnico Regional da Azonasul para assuntos relacionados à Covid-19.

Pelotas aguarda novo modelo de distanciamento

Registrando alta recente de pouco mais de 2%, Pelotas não adotará novas medidas restritivas. A prefeitura informou que segue aguardando a divulgação oficial do novo modelo de Distanciamento Controlado por parte do governo estadual. Isso deve ocorrer até o final da semana, pois a tendência é de que o sistema passe a vigorar no sábado, dia 15.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados