Preservação

Fábrica Rheingantz mantém o restauro

Mesmo na pandemia, as obras continuam; previsão é concluí-las até o o segundo semestre de 2021

14 de Agosto de 2020 - 13h19 Corrigir A + A -
Recuperação.  Intervenções são fruto de um TAC firmado 
em outubro de 2016. (Foto: Divulgação - DP)

Recuperação. Intervenções são fruto de um TAC firmado em outubro de 2016. (Foto: Divulgação - DP)

Está em pleno andamento a obra de restauração e revitalização, para futuro uso comercial, da Fábrica Rheingantz, antigo complexo têxtil localizado no centro de Rio Grande. Com investimento de cerca de R$ 20 milhões, a iniciativa é fruto de termo de ajustamento de conduta firmado em outubro de 2016 entre o Ministério Público, a prefeitura de Rio Grande e a empresa Innovar Participações e Incorporações Ltda.

O local, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Rio Grande do Sul desde 2012, sediará atividades comerciais, ensino universitário, teatro e estruturas de lazer. Além disso, o projeto prevê a implantação de um Museu de História da Reinghantz e da Indústria e a criação de um espaço voltado à educação ambiental.

Neste momento, está sendo restaurado o local onde funcionava o escritório central do antigo complexo têxtil.
O TAC também prevê que a empresa Innovar plante três mil mudas de árvores nas vias urbanas de Rio Grande, dentro do prazo de cinco anos. Além do investimento da própria empresa, serão colocados no projeto cerca de R$ 1,2 milhão em compensações ambientais e urbanísticas, conforme alinhado junto ao Ministério Publico do Rio Grande do Sul.

Conforme o promotor de Justiça de Rio Grande, José Alexandre da Silva Zachia Alan, a previsão de entrega das obras é no segundo semestre de 2021. “As obras são resultado do trabalho e esforço do Ministério Público, município e Innovar para tentar devolver à comunidade de Rio Grande um pedaço da sua história”, destaca ele.
Na época do acordo, o prefeito Alexandre Lindenmeyer (PT) comemorou a assinatura do termo que possibilitaria a revitalização de um local que considera um marco para a comunidade rio-grandina e consequentemente a revitalização de todo o centro histórico do município que está localizado ao redor da fábrica. “Não há nenhuma dúvida de que a cidade ganha com o ato que foi pactuado”, disse na ocasião.

Um pouco da história
A Fábrica Rheingantz foi fundada em 1873 em Rio Grande e foi a pioneira na industrialização no Estado. Sob o nome de Fábrica Nacional de Tecidos e Panos de Rheingantz, o local chegou a empregar dois mil funcionários, diz o estudo de Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural de Rogério Piva da Silva, publicado em 2012 pela UFPel. A pesquisa também destaca que a produção fabril ajudou a impulsionar a economia local. A antiga estrutura está situada na principal avenida de acesso ao centro da cidade, em uma área de 155 mil metros quadrados.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados