Agro

Está dada a largada à colheita do arroz

Tradicional solenidade que marca o início da safra no Estado ocorreu durante três dias na Estação da Embrapa, no Capão do Leão

11 de Fevereiro de 2021 - 21h48 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Tradicional momento ocorreu nesta quinta-feira (Foto: Fagner Almeida)

Tradicional momento ocorreu nesta quinta-feira (Foto: Fagner Almeida)

Vice-presidente participou do evento (Foto: Fagner Almeida)

Vice-presidente participou do evento (Foto: Fagner Almeida)

Desafios e superação marcaram a 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, realizada de 9 a 11 de fevereiro na Estação Experimental Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, no Capão do Leão. Apesar do forte temporal da tarde da última quarta-feira e que prejudicou algumas programações, a cerimônia da colheita da lavoura foi viabilizada nesta quinta-feira (10) com o auxílio das comunidades do Capão do Leão e de Pelotas, assim como de todos os envolvidos na organização no evento, que contou ainda com rígidos protocolos sanitários.

O desempenho das colheitadeiras na lavoura preparada para o evento foi prestigiado pelo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), pelo vice-governador do Estado, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), além de outras autoridades, parlamentares, produtores e representantes de entidades do setor agropecuário. A cerimônia se encerrou com a tradicional “chuva de arroz”.

O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, destacou a dificuldade para realizar o evento em um momento de pandemia, mas que a iniciativa representa uma lavoura importante para os mais de 200 municípios gaúchos que dependem da cultura orizícola para o desempenho da sua economia e do país. “Somos protagonistas com mais de 70% da produção nacional”, afirmou, alertando para a responsabilidade com a produção de arroz. Também enfatizou o empenho da instituição em trazer soluções em tecnologia, manejo e as ferramentas necessárias para a sustentabilidade dos negócios no setor.

Segurança alimentar

“Sempre acreditamos que o agro não para e temos orgulho de ter garantido, no ano passado, a segurança alimentar brasileira. Esse orgulho nos faz lembrar uma frase de um historiador romano: os deuses protegem os homens de coragem e nós somos homens de coragem”, declarou. Em sua manifestação, o presidente da Federarroz agradeceu o auxílio de 50 homens do Exército no apoio da limpeza da área do evento após os estragos causados pela chuva de 85 milímetros na tarde de quarta-feira e os ventos superiores a 100 quilômetros por hora.

Em seu discurso, o vice-governador do Estado disse que o setor orizícola emprega diretamente cerca de 30 mil pessoas. “Temos aproximadamente 950 mil hectares que são destinados ao plantio do arroz. Então a importância do arroz está posta”, concluiu Vieira Júnior.

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, destacou o dinamismo, resiliência e força de vontade do produtor de arroz ao superar inúmeros obstáculos e, com isso, contribuir decisivamente para a segurança alimentar do povo brasileiro. “São gigantes que merecem o nosso apreço e respeito”, afirmou. Também falou sobre a necessidade de melhorar a infraestrutura de estradas e portos para o escoamento da produção, assim como seguro agrícola, incentivo à irrigação, liberdade para a aquisição de insumos e apoio à pesquisa da Embrapa.

Mourão ressaltou que o Brasil é uma “agropotência ambiental”, sendo possível ver a preservação do território nacional e, ao mesmo tempo, a forma como os produtores rurais evoluíram tecnologicamente e, hoje, são responsáveis pela segurança alimentar no país e no mundo. Salientou, ainda, o enfrentamento desde o início do ano passado da pandemia de Covid-19 que gerou crise da saúde com mais de 230 mil brasileiros e brasileiras que perderam a vida, e crise econômica que resultou em uma queda no Produto Interno Bruto (PIB). “O agronegócio não deixou de trabalhar em nenhum momento e foi devido a este setor que mantivemos a nossa população em paz e a dos outros países que recebem o nosso alimento”, observou.

O vice-presidente também citou a crise social com a perda de empregos observando que ela foi enfrentada pelo governo federal com a garantia de recursos para a sobrevivência dos atingidos. Mourão também falou sobre a vacina contra o coronavírus. “O governo federal vem assegurando que este processo seja contínuo e pouco a pouco a população brasileira será vacinada e com isso voltaremos ao nosso modo de vida”, ressaltou.

A 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz foi uma realização da Federarroz, correalização da Embrapa e patrocínio do Irga e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados