Pandemia

Em Rio Grande, prefeitura mantém isolamento social

Medida foi anunciada em pronunciamento do prefeito nas redes sociais; CDL reage, menciona demissões e dispara críticas ao governo

15 de Maio de 2020 - 21h12 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Argumento do município para manter restrições não se deve apenas aos 11 casos registrados, mas à ocupação de leitos de UTI Covid-19

(Foto: Divulgação prefeitura)

Argumento do município para manter restrições não se deve apenas aos 11 casos registrados, mas à ocupação de leitos de UTI Covid-19 (Foto: Divulgação prefeitura)

O prefeito Alexandre Lindenmeyer (PT) confirmou em pronunciamento nas redes sociais na manhã de sexta-feira (15): não haverá ampliação da flexibilização neste momento. Em fala de 32 minutos, o chefe do Executivo mencionou pequenos ajustes, como a possibilidade de barbearias e de salões de beleza funcionarem a partir de segunda-feira, com uma série de cuidados. Os Shoppings seguem fechados.

As decisões tomaram como base a orientação do Comitê Técnico Científico em Saúde. Por várias vezes, Lindenmeyer mencionou a avaliação criteriosa, que não leva em consideração apenas o número de 11 casos confirmados de novo coronavírus em Rio Grande. O fato de 60% dos leitos de UTI Covid estarem ocupados pesou para a posição.

"Se der um surto na indústria. Se algum protocolo falhar, 'caiu a casa'", resumiu o prefeito. E ainda fez questão de ressaltar o perfil da cidade, que é portuária e acaba mais vulnerável a riscos de contaminação. "Não é uma tomada de decisão fácil e pelo percentual alto que temos de ocupação nos leitos de UTI seria muito arriscado flexibilizar mais do que já fizemos", reiterou.

O prefeito também voltou a cobrar respostas do governo federal para o credenciamento de leitos Covid e a liberação de equipamentos prometidos.

CDL rebate e cobra providências
Ao se manifestar por nota, no começo da tarde, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em conjunto com o Aliança Rio Grande, disparou críticas às decisões anunciadas pela prefeitura. No texto, a entidade apresentou histórico de datas de conversas e de tentativas de negociação para retomada segura das atividades econômicas, ao longo do período de 53 dias com restrições, e destacou preocupação com fechamento de empresas e aumento do número de desempregados.

Nossa entidade manifesta aqui total repúdio e inconformidade com esse tratamento, ao mesmo tempo que não podemos mais aceitar as alegações de que a capacidade de atendimento em Rio Grande ainda é precária - afirma o documento. E vai além: Estamos diante de uma urgência em que não podemos mais esperar por infinitas reuniões, ou pela ação de outros agentes, as providências precisam ser imediatas. Nossa cidade está na UTI.

Confira o panorama da pandemia na Zona Sul
A região chegou ao total de 78 casos da doença. Duas confirmações vieram de Rio Grande, na noite de quinta-feira (14). O outro diagnóstico positivo foi conhecido na tarde desta sexta-feira, em Pelotas: a mulher, de 23 anos, está assintomática e em isolamento domiciliar. Confira, as cidades que já registraram casos:

- Pelotas: 46
- Canguçu: 11
- Rio Grande: 11
- São Lourenço: 5
- Piratini: 2
- Capão do Leão: 1
- Candiota: 1
- Jaguarão: 1


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados