Prevenção

Doses seguem escassas na vacinação contra gripe

3ª Coordenadoria de Saúde irá distribuir mais 36.520 vacinas à região na tarde desta terça; com nova remessa total atingirá apenas 44,7% do necessário para toda a campanha

06 de Abril de 2020 - 21h34 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Público recebeu orientação de ligar antes de voltar ao Centro de Especialidades, em Pelotas, para evitar circulação indevida, em tempos de isolamento social (Foto: Jô Folha - DP)

Público recebeu orientação de ligar antes de voltar ao Centro de Especialidades, em Pelotas, para evitar circulação indevida, em tempos de isolamento social (Foto: Jô Folha - DP)

Edmar Ferreira, 70, foi um dos idosos que deixou o local sem a imunização na manhã desta segunda-feira (Foto: Jô Folha - DP)

Edmar Ferreira, 70, foi um dos idosos que deixou o local sem a imunização na manhã desta segunda-feira (Foto: Jô Folha - DP)

O aviso estava na porta de entrada do Centro de Especialidades: Não temos vacina da gripe! A comunidade de Pelotas precisou exercitar a paciência mais uma vez e parte de quem recorreu às Unidades Básicas de Saúde (UBSs), nesta segunda-feira (6), deixou os locais sem ser imunizado. A 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (3ª CRS) irá distribuir mais 36.520 doses à Zona Sul na tarde desta terça. É o que está previsto. 

A expectativa, entretanto, é de que o reforço nos estoques só estará à disposição da população entre quarta (8) e quinta-feira, já que é preciso tempo para as vacinas chegarem às 22 cidades da área de abrangência e serem distribuídas, de fato, à rede. "Temos procurado agir o mais rápido possível, assim que o material chega, mas o Ministério da Saúde só tem nos liberado novas doses uma vez por semana", afirma a titular da 3ª CRS, Caroline Hoffmann.

E admite que o desabastecimento vai na contramão da orientação de que os idosos devem adotar o isolamento social para se prevenir do novo coronavírus. Se saem de casa para receber a proteção contra a gripe e ganham um "Não" como resposta, não terão outra alternativa: ou precisarão rodar por outras UBSs em busca de imunização ou terão de retornar outro dia. Independentemente da alternativa, estarão sob exposição.

Foi o caso de Edmar da Silva Ferreira, 70, na manhã desta segunda: "Se não encontrar lá no postinho do Py Crespo, vou aguardar". Aliás, ele e todos os outros cidadãos que estiveram no Centro de Especialidades, deixaram a Unidade sem a vacina, mas com um pequeno bilhete com os números de telefone para poderem ligar e obter informações de quando a campanha estará normalizada.

Saiba mais
* Calendário
- Até o dia 15 de abril, a vacinação é dirigida a profissionais da Saúde e cidadãos acima dos 60 anos de idade. Em todo o país, só os idosos correspondem a cerca de 20,8 milhões de pessoas.

- A próxima etapa, a partir do dia 16, será destinada a doentes crônicos, professores das redes pública e privada de ensino, profissionais das forças de Segurança e salvamento, além de caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e trabalhadores portuários.

- A última fase, marcada para começar em 9 de maio, priorizará crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas de 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

* Proteção contra quais vírus?
A vacina da gripe previne contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul no ano passado: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

* Embora não proteja contra a Covid-19, por que é importante tomar a dose?
Existe uma razão muito clara para aderir à campanha, apesar de não representar proteção contra o novo coronavírus. A imunização contra Influenza pode auxiliar os profissionais de Saúde na exclusão do diagnóstico para Covid-19, já que os sintomas são parecidos. Além disso, se você estiver protegido, reduzem as chances de procurar os serviços de saúde que, neste momento, deverão estar sobrecarregados.

E, em geral, a comunidade tem atendido ao chamamento. "Em outros anos, costumávamos fazer busca ativa para conseguir atingir a cobertura vacinal. Agora, a demanda está muito maior. Não estamos dando conta de ficar abastecidos até que o Ministério libere novas doses", destaca Caroline Hoffmann, ao lembrar da antecipação da campanha, que teve largada no mês de março.

7

 Confira algumas ações e resultados 

- Turuçu: Ações como drive thru têm sido adotadas para evitar situações de aglomeração na rede básica. A expectativa é de que até o dia 15, os dois grupos que integram o público-alvo - idosos e trabalhadores da saúde - estarão imunizados. A etapa só não atingiu o 100% antecipadamente porque as doses têm chegado aos poucos; explica a secretária de Saúde, a enfermeira Renata Coelho.

- Capão do Leão: O município também alcançado bons resultados: 96,33% dos idosos já foram vacinados - confirma relatório apresentado nesta segunda. Até agora, 2.701 doses já foram aplicadas. Faltavam apenas 103 idosos receberem a imunização.

- Santana da Boa Vista: Estratégias de vacinação a domicílio e através de drive thru também facilitam o acesso à comunidade. Até a tarde desta segunda , 1.134 pessoas já haviam participado da campanha.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados