Região

Defesa Civil distribui lonas para famílias em Rio Grande

Cinco casas foram destelhadas na zona urbana do município na noite de domingo após temporais

17 de Janeiro de 2022 - 23h18 Corrigir A + A -
Lonas foram distribuídas após destelhamentos na cidade devido ao mau tempo (Foto: Richard Furtado - PMRG)

Lonas foram distribuídas após destelhamentos na cidade devido ao mau tempo (Foto: Richard Furtado - PMRG)

Após um longo período de seca e dias de muito calor, a chuva voltou a Rio Grande. A precipitação total entre sábado e a tarde desta segunda-feira (17) foi de 43,8 milímetros, conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Apesar de muito esperada, especialmente pelos agricultores, a precipitação, aliada a ventos de até 60 quilômetros por hora, causou destelhamentos e derrubou árvores em diferentes partes do município. A previsão é de mais chuva na cidade até amanhã.

A Defesa Civil tem acompanhado a situação de perto e prestado atendimento à comunidade atingida. Até o momento, o setor já auxiliou cinco famílias que tiveram suas casas destelhadas. Quatro delas estão relacionadas ao mesmo incidente, no bairro Lagoa, onde o telhado de uma casa da rua Visconde de Mauá foi arrancado pelo temporal e acabou atingindo e danificando outras três residências, localizadas na rua Casemiro de Abreu. Além dessas, a equipe do setor fez a entrega de lonas em uma outra casa, na avenida 1º de Maio, que também foi atingida pelo vendaval.

Outros chamados recebidos foram a respeito de árvores caídas, como na rua Montevidéu, no Cassino. No local, a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e equipe operacional da Secretaria do Cassino realizaram a retirada dos troncos e galhos para liberar o trânsito.

Monitoramento das ruas e atenção à Casa de Bombas

As equipes da Defesa Civil têm verificado diferentes pontos da cidade e, até agora, não foram registrados alagamentos graves. Apesar disso, de acordo com o ordenador do setor, Rudimar Machado, servidores estão de prontidão na casa de bombas para o acionamento em caso de necessidade.

Ele explica que as bombas podem ser danificadas se forem ligadas sem que o volume de água atinja um nível específico, o que não ocorreu até o momento. Entretanto, com a continuidade da chuva, elas poderão ativadas para a drenagem das ruas.

Uma segunda equipe da Defesa Civil segue em atuação na sede do órgão, localizada no Centro de Eventos, separando as lonas para distribuição.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados