Prejuízo

Chuva de estragos para três municípios da Zona Sul

No Capão do Leão, foram cerca de cem casas atingidas e as famílias cadastradas no Cras terão prioridade para receber telhas

30 de Março de 2022 - 16h35 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Pedras de gelo atingiram o tamanho de um ovo (Foto: Jô Folha - DP)

Pedras de gelo atingiram o tamanho de um ovo (Foto: Jô Folha - DP)

Juraci e 74 anos mora sozinha no Cerro do Estado e se escondeu embaixo da mesa para se proteger (Foto: Jô Folha - DP)

Juraci e 74 anos mora sozinha no Cerro do Estado e se escondeu embaixo da mesa para se proteger (Foto: Jô Folha - DP)

A mesa da cozinha foi o refúgio para duas famílias do Cerro da Estado, no interior do Capão do Leão, durante a chuva de granizo que em meia hora causou vários estragos na localidade e na vila da Palha. Pelo levantamento da Defesa Civil, foram aproximadamente cem casas atingidas, mas nenhuma família ficou desalojada. Na Capela da Buena, em Morro Redondo, também foram registrados prejuízos. Já em Rio Grande, o vento forte levantou telhas de cinco casas e derrubou árvores.

Juraci Larrosa Pereira, 74, mora sozinha no Cerro do Estado e estava se aprontando para dormir, por volta das 20h30min, quando veio a chuva. O barulho das pedras a assustou e a única alternativa foi ficar por meia hora embaixo da mesa da cozinha para não ser atingida por telhas quebradas e pedras do tamanho de um ovo. "Eu não podia fazer nada. Não tem vizinho próximo. Então rezei", relatou. Após a tormenta, a aposentada contabilizou os estragos, sendo que um deles foi a cama encharcada e muitos buracos na cobertura da casa. "Eu dormi em um canto do sofá com uma lona por cima. A televisão só não estragou, pois a protegi com um plástico." Ela foi acordada por volta da uma hora da madrugada desta quarta-feira (30) com a chegada das equipes da Defesa Civil e da Secretaria de Cidadania e Assistência Social do município para a entrega de lonas. Pela manhã, e na companhia da filha, pôde ver de perto a situação. "Só espero agora conseguir telhas para repor".

Na mesma localidade, a moradora Sônia Regina Xavier de Quadro, 60, relatou à secretária Beatriz Sedrez os momentos de pânico que passou. Como sua única renda é o Bolsa Família e está cadastrada no Centro de Referência e Assistência Social (Cras), recebeu a notícia que terá prioridade em receber as telhas para recompor o telhado totalmente destruído pelas pedras.

"A chuva era tocada pelo vento e as pedras quebraram o vidro do banheiro. A primeira coisa que veio à mente foi proteger minha neta embaixo da mesa. Perdi alimentos e roupas. A água da chuva escorria pelo guarda-roupa e molhou a cama e o sofá, que não prestam mais", conta. Aos fundos, junto à casa da Sônia, sua filha Janara Correa, 31, chegou a gravar um vídeo da água que vinha do forro de madeira. "Eu estou sem dormir, pois minha cama ficou ensopada."

"Visitamos as famílias acompanhadas pela coordenadora dos Cras, uma psicóloga e dois servidores da Secretaria de Obras para fazer o levantamento da quantidade de telhas que precisaremos adquirir", explica a secretária Beatriz. Ela conta que já pelas 22h de terça-feira, as equipes já estavam nas localidades distribuindo lonas. O apoio da Coordenadoria Regional da Defesa Civil Estadual foi através da entrega de quatro rolos de lona para a administração municipal. Beatriz lembra que doações para as famílias que perderam móveis e alimentos podem ser entregues na Secretaria, na avenida Narciso Silva, 2.200.
Em Morro Redondo, o secretário de Obras, Urbanismo e Trânsito, Darlan Guidotti de Melo, explica que recebeu chamado de dez famílias da Capela da Buena e que não têm condições de arcar com os prejuízos. "Essas pessoas serão encaminhadas para a Assistência Social para cadastro e assim, receber o material", diz o secretário. A pasta ainda não tem o levantamento total dos estragos causados pelo granizo.

Previsão do tempo

Para os moradores atingidos, a esperança agora é que as telhas cheguem logo, pois além de terem os móveis molhados, já enfrentam o friozinho de outono. Para esta quinta-feira, o tempo fica firme, com céu claro, mas a mínima fica em 8ºC. A preocupação aumenta com a proximidade do final de semana, que aponta chuva, principalmente no domingo, segundo a MetSul Meteorologia.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados