Solidariedade

Capão do Leão entrega mais de 112 mil refeições

Os alimentos são distribuídos desde o começo da pandemia aos estudantes do município

01 de Agosto de 2020 - 09h20 Corrigir A + A -
Diariamente são preparados 1,4 mil almoços (Foto: Divulgação - DP)

Diariamente são preparados 1,4 mil almoços (Foto: Divulgação - DP)

Com o objetivo de garantir o acesso à alimentação fornecida aos alunos da rede municipal, a prefeitura de Capão do Leão, desde o início da pandemia, entrega marmitas nas residências dos estudantes.

“Em muitos casos, as pessoas não tem sequer um botijão de gás para fazer a comida. Com as marmitas garantimos aos alunos uma boa alimentação, com todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento”, destaca o prefeito Mauro Nolasco (PT). Segundo o Poder Público, a iniciativa visa preservar a população e assegurar que a alimentação de qualidade não falte na mesa de quem, diariamente, conta com a refeição oferecida nas escolas. Há mais de 80 dias são distribuídas, no almoço, em torno de 1,4 mil marmitas.

O cardápio, elaborado por uma nutricionista, é diverso e rico em nutrientes. Entre os itens estão arroz, feijão, lentilha, massa e hortaliças, como pimentão, cebola, tomate, alho, abóbora, além de carnes e frutas.

A equipe, com cerca de 90 pessoas, é composta por merendeiras, serventes e entregadores. As atividades são realizadas de segunda a sexta-feira. A programação se inicia às 6h30min, com a chegada dos servidores que preparam as refeições, e se encerram às 13h30min, com as entregas nas residências.

Os locais definidos para a produção são as Escolas Prof. Elmar da Silva Costa, Barão de Santo Ângelo, Com. Parque Fragata e Sen. Darcy Ribeiro.

Segundo o supervisor, André Burgeño, entregar a merenda escolar na casa das crianças e adultos (pois tem os alunos do EJA), demostra a preocupação com os alunos. “Apesar de não haver aulas, foi feito um grande esforço para manter a refeição, que para muitos é a principal do dia. Sinto-me privilegiado por estar a frente do setor e poder contribuir de alguma forma”, declara.

Liane dos Santos Ledebuhr, 36 anos, mãe de cinco crianças, moradora do bairro Parque Fragata, disse que a ação contribui muito nesse momento, onde as dificuldades são ainda maiores. “Pra mim, que sou mãe solteira e crio meus filhos sozinha, receber as marmitas é a garantia de que eles vão se alimentar bem. Essa atitude, de atender quem é mais carente, faz muita diferença na vida de quem precisa”. 

Ainda sem definição sobre a retomada do calendário escolar, a prefeitura garante que manterá a distribuição a todos estudantes que aceitaram receber as marmitas nas residências.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados