Estrutura

Cais do Porto Velho de Rio Grande será recuperado

Ordem de serviço para a revitalização do espaço foi assinada por Furg e Portos RS

12 de Janeiro de 2022 - 22h36 Corrigir A + A -
Projeto visa garantir a integridade do local. (Foto: Richard Furtado - PMRG)

Projeto visa garantir a integridade do local. (Foto: Richard Furtado - PMRG)

A Universidade Federal do Rio Grande (Furg), através da Escola de Engenharia (EE), contribuirá com sua expertise técnica e científica na revitalização de uma importante parte da cidade do Rio Grande: o cais do Porto Velho, que será recuperado junto com o projeto de revitalização do Centro Histórico do município. A ordem de serviço foi assinada pela universidade e pela Portos RS na Superintendência do Porto.

Um dos presentes na ocasião, o professor e coordenador do projeto, Waldir Terra Pinto, explica que “no problema específico do cais do Porto Velho, por volta do ano 2000, foi constatada a ruptura de um trecho de aproximadamente 120 metros. A superintendência solicitou um estudo visando a proposição de uma obra emergencial para conter a ruptura do cais”. Assim, um estudo para a estabilização emergencial foi conduzido pelo antigo Departamento de Materiais e Construção (DMC), liderado pelos professores Waldir e Cláudio Renato Rodrigues Dias. O resultado do estudo foi um projeto emergencial para interromper o processo de ruptura.

No final de 2019, houve um contato da Portos RS com a Escola de Engenharia para a retomada dos estudos, em função da necessidade de garantir a integridade do cais no contexto do projeto de revitalização do Centro Histórico da cidade. “Portanto, na realidade, houve uma retomada da parceria que foi formalizada pelo convênio”, esclarece o professor.

Projeto

A duração do convênio é de 12 meses e, segundo o professor, a revitalização do Centro Histórico é um projeto que vai muito além do objeto do convênio, que se limita à região do cais. No entanto, o cais e os armazéns do Porto Velho são elementos centrais do projeto de revitalização.

“A garantia de integridade do cais é fundamental para viabilizar o projeto. Neste contexto, o estudo vai determinar as condições atuais do cais e propor obras de intervenção que garantam a estabilidade e segurança para atender as demandas do projeto de revitalização”, afirma Waldir Pinto.

Sobre a parceria no processo de recuperação desse importante espaço rio-grandino, o professor aponta que a participação da Furg é de extrema relevância. “Primeiro porque viabiliza o projeto de revitalização do Centro Histórico, onde essa obra vai transformar a região, com grande impacto nas atividades culturais, de lazer e turísticas da cidade. E também, as soluções apresentadas pela universidade terão um alto grau de inovação e sustentabilidade e, ao mesmo tempo, de fácil execução e baixo custo”, avalia.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados