Debate

Alternativas para os caminhões na fronteira

A exigência do teste de PCR, pelo Uruguai tem prejudicado o transporte de cargas internacionais, em Jaguarão

13 de Julho de 2020 - 13h06 Corrigir A + A -
Prefeito Favio Telis se reuniu com a diretora departamental do Ministério uruguaio, Karina Rando; a intendente de Cerro Largo, Carmen Tort, e o alcaide de Rio Branco, Rodolfo Conde. (Foto: Divulgação - DP)

Prefeito Favio Telis se reuniu com a diretora departamental do Ministério uruguaio, Karina Rando; a intendente de Cerro Largo, Carmen Tort, e o alcaide de Rio Branco, Rodolfo Conde. (Foto: Divulgação - DP)

O prefeito de Jaguarão, Favio Telis, esteve reunido com autoridades uruguaias para construir novas alternativas para o acesso de caminhoneiros ao país. Em audiência com a diretora departamental do Ministério uruguaio, Karina Rando; a intendente de Cerro Largo, Carmen Tort, e o alcaide de Rio Branco, Rodolfo Conde, o gestor municipal pede que a nação vizinha reveja a exigência do teste de PCR. Em virtude da demora no resultado, a medida tem prejudicado o transporte de cargas internacionais.

Telis afirma que é preciso encontrar uma forma que dê mais celeridade no ingresso dos motoristas, não deixando cargas paradas, inclusive de mantimentos perecíveis. “Em defesa da vida e da economia, precisamos buscar alternativas e outro tipo de monitoramento, para não prejudicar ainda mais quem precisa colocar a comida na mesa”, defende o prefeito.

Ele reforça que o congestionamento sobre a ponte Barão de Mauá também é arriscado, pois a estrutura é de 1929. As filas também geram insegurança no fluxo de trânsito. Na última semana houve um acidente fatal.

O líder do Executivo da fronteira ainda propõe que a fiscalização dos veículos seja realizada no Passo da Fronteira, a exemplo de como ocorre em Jaguarão. Desta forma, a verificação do transporte se concentra no terminal rodoviário – gerando menos transtornos. Telis ainda solicita a reativação da Carteira do Fronteiriço, o que facilitaria a o controle de entrada e saída de Jaguarão.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados