Hábitos de consumo

Streaming: a reinvenção do consumo de mídias

As plataformas de streaming estão conquistando cada vez mais assinantes. Será esse o fim de modelos como a TV a cabo?

09 de Julho de 2021 - 06h42 Corrigir A + A -

Por: K2. – Assessoria e Comunicação Digital

contato@k2ponto.com.br

Imagem: Freepik

Imagem: Freepik

 Ao ouvir a palavra streaming, o que vem à sua mente? Se você pensou apenas em plataformas para assistir filmes e séries, acertou em partes. 

A verdade é que as plataformas de streaming vão muito além de apenas transmitir mídias audiovisuais.

Streaming é qualquer conteúdo midiático, ao vivo ou gravado, que é disponibilizado através da internet para computadores ou dispositivos móveis. Nesse sentido, além de filmes e séries, os formatos podcasts, músicas e webcasts também são considerados como streaming.

As tecnologias de streaming vêm crescendo muito no Brasil, a exemplo da plataforma Netflix, que é o mais famoso serviço de transmissão de séries e filmes.

 Um levantamento realizado pela empresa de pesquisas Bernstein constatou que o número de assinantes da Netflix ultrapassou o de TV a cabo no Brasil.

A expansão da plataforma é tão expressiva que, em 2020, a Netflix alcançou aproximadamente 204 milhões de assinaturas ao redor do mundo, marcando um recorde de crescimento.

Afinal, como funciona a tecnologia de streaming?

Tecnicamente falando, arquivos de mídia como música, vídeo e áudio são pré-arranjados e transmitidos através de pacotes sequenciais de dados, de modo a permitir a sua transmissão instantaneamente.

Ou, em bom português, o streaming funciona a partir de uma troca de dados entre o servidor da plataforma e o dispositivo do usuário. Para isso, é necessária uma conexão confiável e rápida com a internet para utilizar o serviço sem interrupções.

Você provavelmente já está familiarizado com o conceito de fazer download  - ou “baixar” um arquivo -, que é quando você salva uma imagem, vídeo ou áudio em seu dispositivo.

Na maioria das vezes – exceto quando se tem uma conexão com a internet extremamente rápida – é preciso esperar um tempo para acessar o arquivo baixado.

Diferente do download, no streaming não é preciso esperar o tempo de receber o arquivo inteiro para acessá-lo. As informações são enviadas por pacotes de dados que podem ser consumidos no mesmo instante pelo usuário.

Outra diferença entre fazer o download de um arquivo e utilizar o streaming é o armazenamento

Ao fazer o download de um arquivo, ele fica armazenado em seu dispositivo, ocupando espaço.

 Já na tecnologia de streaming isso não acontece. No momento em que você se desconectar da plataforma que estava utilizando, todos os dados serão apagados do seu computador, sem que haja a armazenagem dos arquivos. 

👉 Um ponto importante para se ter em mente antes de assinar um pacote de streaming é a conexão à internet. 

Os serviços de streaming podem ser afetados por conexões fracas ou suspeitas.

A plataforma de mídia online Insider aponta em seu guia sobre streaming que qualquer conexão de internet que é qualificada como “banda larga” já é suficiente para transmitir mídias em plataformas de streaming.  

Acontece que, para cada um dos tipos de mídia, há uma recomendação:

  • Streaming de áudio: para acessar arquivos de áudios em plataformas de streaming, a velocidade recomendada é de pelo menos 1.5 megabits por segundo, ou Mbps.

  •  Streaming em vídeo HD: para assistir vídeos em alta definição, é necessário pelo menos 3 Mbps.

  • vídeo 4K: para transmitir vídeos 4k UHD é preciso 25 Mbps.

  •  Jogos: há alguns jogos específicos que permitem que o usuário acesse sem precisar fazer download, instalar ou armazenar os arquivos no computador. Mas, em geral, o streaming de jogos vai depender da resolução da tela e da complexidade do jogo em si. Normalmente, é preciso pelo menos 10 Mbps para jogos em HD e 35 Mbps para jogos em 4k.

Como faço para descobrir a velocidade da minha internet?

Há sites que possibilitam descobrir a velocidade da conexão de internet, e que são conhecidos como speed test. 

Neste artigo você verá quais são os 4 melhores sites para medir a velocidade da internet na atualidade. 

Prós e contras de plataformas de streaming

Depois do que foi lido até agora, os pontos positivos das plataformas de streaming parecem óbvios, certo? 

O primeiro deles é o imediatismo, com a capacidade de acessar um arquivo em tempo real.

O segundo ponto positivo é o fato de não precisar de espaço para armazenamento de arquivos, o que evita sobrecarregar os dispositivos.

O terceiro é a chance de utilizar a plataforma de streaming no momento em que quiser, sem depender de programações estabelecidas, como acontece em assinaturas de televisão a cabo.

Mas como nem tudo é perfeito... Há pontos negativos também. 😒

A maioria das plataformas de streaming são pagas. Algumas delas até oferecem acesso gratuito a poucas funcionalidades, enquanto limita outras.

Há plataformas de streaming que só possuem versões pagas (às vezes elas até liberam um período de teste gratuito, mas dura pouco tempo).

👉 Se você pretende economizar dinheiro, é necessário analisar quais plataformas serão assinadas, para não se endividar demais com os serviços de streaming.

Outro ponto negativo é que há uma grande variedade de plataformas de streaming. Pegando como exemplo as plataformas de séries e filmes, é possível perceber que há muitas opções no mercado, e isso acaba complicando o seu processo de escolha.

Atualmente, os brasileiros têm à disposição Netflix, Amazon Prime Video, Disney+, Apple TV, HBO Max, Telecine Play, Globo Play e YouTube Premium, só para citar as mais populares. 😳

Às vezes você pode estar maratonando uma série que está disponibilizada na plataforma X e, ao mesmo tempo, querendo começar outro seriado, mas esse só está disponível na plataforma Y...

Em geral, as assinaturas não custam valores exorbitantes, mas, caso você assine várias delas, a soma final pode ser alta.

Então, o que você precisa fazer é tomar algumas decisões:

  • Assinar uma ou mais plataformas?

  • Não assinar nenhuma e se virar com os downloads? 

⚠ Não esqueça que, por mais corriqueiro que seja, o download de conteúdos sem os seus direitos de uso é considerado piratatia, além do risco desses arquivos conterem vírus que podem danificar os seus dispositivos. ☠️

Essas são questões para se pensar ao escolher a(s) plataforma(s) para assinar.

Por fim, outro investimento a ser analisado é a contratação de uma boa conexão com a internet, pois, como já vimos, a largura da banda influenciará diretamente a sua experiência com o streaming.

O streaming pode acabar com a TV a cabo?

Você já deve ter percebido até aqui que as plataformas de streaming de séries e filmes possuem inúmeras funcionalidades que estão ultrapassando o formato da TV a cabo. Afinal, a maioria dos pacotes a cabo são mais caros que o streaming e você ainda precisa se submeter a grades de programação pré-estabelecidas.

O Canaltech comparou os gastos entre optar por plataformas de streaming ou utilizar TV a cabo (está incluído nos cálculos o valor dos pacotes de internet também).

Em resumo, optar por um bom plano de internet e assinar algumas plataformas de streaming simultaneamente, de modo geral, ainda sai mais barato que contratar um combo internet + plano de TV a cabo.

Sendo assim, a solução para as redes de TV paga é se reinventar e trazer mais opções e funcionalidades para os usuários. Caso contrário, inevitavelmente, essa disputa estará perdida.

PS: se você quiser entender com mais profundidade o funcionamento do streaming, essa é uma boa leitura.

__

 E você, já assina alguma plataforma de streaming? Ou várias delas? 🤪

Conte nos comentários o que você acha desse assunto e como tem sido a sua experiência com o streaming.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados