Inovação

Pix: a maneira inovadora de transferir dinheiro no Brasil

O Pix já é a forma de transação bancária favorita dos brasileiros e obteve reconhecimento internacional.

25 de Junho de 2021 - 07h43 Corrigir A + A -

Por: K2. – Assessoria e Comunicação Digital

contato@k2ponto.com.br

Imagem: K2.

Imagem: K2.

Com um pouco mais de seis meses desde sua implementação, o Pix inovou a movimentação financeira no Brasil.  Em apenas alguns segundos é possível realizar transações entre contas (como pagamentos e transferências) a partir de aplicativos, sem precisar pagar taxas ou esperar pela aprovação.

Não é à toa que, em pouco tempo, a criação do Banco Central se tornou a forma de pagamento favorita dos brasileiros. 

O sucesso é tão grande que o serviço foi reconhecido internacionalmente. Na premiação Fintech & Regtech Global Awards 2021, o Pix foi o vencedor do prêmio de “Inovação de Pagamentos”, sendo eleito o melhor sistema de pagamentos do mundo entre os produtos de Bancos Centrais lançados no último ano.

Mas por que o Pix chamou tanto a atenção desde que foi anunciado o seu lançamento, no final de 2020?

A grande novidade foi a possibilidade de realizar transações a qualquer dia da semana, com funcionamento 24h e sem precisar pagar taxas, inclusive entre bancos diferentes (atualmente, a taxa de TED ou DOC entre bancos distintos pode custar mais de R$ 15 😬).

O Pix causou um impacto gigantesco na sociedade brasileira. Diariamente, o serviço movimenta milhões de reais em transações financeiras, como apontam os dados divulgados pelo Banco Central do Brasil.

Para se ter uma noção do tamanho da movimentação de dinheiro, somente no dia 21 de junho de 2021 foram liquidados via Pix valores que totalizaram mais de R$ 16 milhões. 💰

Como funciona a tecnologia do Pix?

Segundo o próprio Banco Central, a palavra “Pix” foi escolhida como nome porque as três letras juntas acionam memórias sobre tecnologia, transações e pixels.

Seu funcionamento é tão simples quanto o nome. Basicamente, para usá-lo é preciso que tanto a pessoa que está pagando quanto a pessoa que está recebendo o dinheiro tenha uma chave Pix para a transação ser efetivada.

A criação dessa chave é feita diretamente no aplicativo do banco, instituição de pagamento ou fintech (startups que inovam e otimizam sistemas financeiros, a exemplo do Nubank) em que o dinheiro está hospedado.

Há várias opções de chaves. Você pode criá-las através do seu…

  • CPF

  • número de celular

  • e-mail ou...

  • … uma chave aleatória, para quem não quer divulgar seus dados.

As transações do Pix são realizadas em tempo real. Em poucos segundos, o dinheiro é transferido de uma conta para outra, sendo que o processo é feito sem a necessidade de intermediação de terceiros.

A popularidade do Pix

Você provavelmente já entrou em alguma loja que continha uma placa com a informação “aceitamos Pix”. 🙂

Isso porque agora é possível pagar estabelecimentos através dessa tecnologia. Grandes redes de lojas brasileiras, por exemplo, já aceitam Pix para a efetuação de pagamentos.

 Hoje, as transações através do Pix podem ser feitas das seguintes formas:

  • Entre pessoas (transações P2P);

  • Entre pessoas e estabelecimentos comerciais (transações P2B);

  • Entre estabelecimentos (transações B2B);

  • Para pagamentos de taxas e impostos (transações P2G e B2G). 

Ampliação das formas de pagamento para segmentos em crise

Um dos mercados mais impactados pela pandemia de Covid-19 foi o dos restaurantes. Nos últimos meses, o segmento tem se reinventado, tentando encontrar novas formas de sobrevivência.

Segundo dados da pesquisa setorial da Associação de Restaurantes (ANR), junto com a Galunion Consultoria e o Instituto Foodservice do Brasil, 79% dos empresários desse ramo já adotaram ou querem adotar o Pix como uma alternativa para recebimentos.

O principal objetivo é que o consumidor obtenha mais opções para pagar o seu consumo. Como consequência direta, o estabelecimento consegue aumentar sua clientela. 

Nesse contexto, o Pix também facilitou os pagamentos realizados nos fins de semana, já que, diferente de TED e DOC, funciona todos os dias. Assim, os donos de restaurantes ampliaram a capacidade de recebimento.

O Pix é confiável?

De acordo com uma pesquisa realizada pela plataforma de busca e comparação de softwares Capterra, 76% dos brasileiros afirmaram ter um alto grau de confiança no Pix.

Segundo a Capterra, a adesão dos brasileiros foi muito rápida. Com cerca de sete meses de vida, o Pix ultrapassou a marca de 253 milhões de chaves cadastradas. Em termos mundiais, essa foi a adesão mais rápida para sistemas de pagamento instantâneo.

No entanto, essa aceitação se modifica conforme a idade. Os jovens aderiram ao Pix em maior volume e velocidade do que as pessoas de mais idade, e as relações de confiança com essa tecnologia também mudam de acordo com a faixa etária.

Por exemplo, 85% dos jovens com idade entre 18 e 22 anos declararam confiar muito no Pix; por outro lado, este número se retrai para 71% na faixa etária de 56 a 65 anos, aponta a pesquisa da plataforma Capterra.

Isso acontece devido a um desconhecimento sobre a utilização do Pix, mas também pelo aumento expressivo de golpistas utilizando essa tecnologia. Porém, é importante frisar que essas fraudes não estão atrelados ao Pix em si.

Um dos golpes que tem repercutido bastante nas mídias é o do “Pix por agendamento”, que explora o recurso de agendar um pagamento para uma data futura.

Os criminosos utilizam o agendamento para ameaçar as vítimas, alegando que transferiram um valor em dinheiro por engano e que querem o ressarcimento. Só que eles cancelam o agendamento e, mesmo assim, recebem a quantia da vítima que foi enganada. 

Por isso, fique alerta: ao ser procurado por alguém que alega ter transferido um dinheiro por engano, basta informar para essa pessoa que a operação de agendamento pode ser cancelada, para assim evitar estresse desnecessário

Para a sua segurança, atenção redobrada e checagem das informações é essencial. Além disso, revise sempre a chave para envio do dinheiro, conferindo se o nome corresponde a quem você está tentando transferir a quantia. Saiba que, se você errar e enviar para outra pessoa, não há garantia que o dinheiro será devolvido.

Em resumo: o Pix é muito seguro e confiável. Basta prestar atenção e tomar cuidado. Certamente, vale a pena testar. 🙂

___

Você já utiliza o Pix nos seus pagamentos? O que você tem achado dessa tecnologia? Diga como tem sido a sua experiência nos comentários! ✍️


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados