Bem-estar digital

Detox digital: esgotamento físico e mental é um sinal para dar uma pausa

Com a pandemia de Covid-19, a dependência da tecnologia foi intensificada e o esgotamento digital se tornou uma realidade

17 de Dezembro de 2021 - 09h15 Corrigir A + A -

Por: K2. – Assessoria e Comunicação Digital

contato@k2ponto.com.br

Imagem: rawpixel.com - Freepik

Imagem: rawpixel.com - Freepik

Você conhece alguém que acorda pela manhã e já pega o celular para checar o que aconteceu na noite anterior? Ou que não desgruda do celular enquanto está no ônibus ou caminhando - e, às vezes, até quando está comendo? 🙄

Talvez você mesmo seja essa pessoa, que tem os dispositivos digitais como aliados da rotina. 

Contudo, nem sempre o uso diário da tecnologia digital é algo positivo. Em caso de excessos, há a necessidade de um detox digital.

Mas o que é isso? 

Você já deve ter ouvido falar em detox alimentar. Pode parecer loucura, mas a definição de detox digital é bem parecida com a relacionada aos alimentos. A diferença é que este é um detox do mundo tecnológico.

Detox digital significa se desconectar de todos os dispositivos digitais - celular, televisão, tablet, notebook, entre outros - para focar na vida fora das telas.

O excesso de tecnologia traz consequências

Com a pandemia de Covid-19, a dependência da tecnologia foi intensificada: reuniões online, tabelas para elaborar, textos para escrever, mensagens para colegas de trabalho e trocas de e-mails constantes, sem falar no contato com familiares e amigos por meio de celulares e notebooks.

Nesse contexto, uma expressão ganhou força nas redes sociais: zoom fatigue ou zoom burnout, a “fadiga do Zoom”. Basicamente, alguns pesquisadores detectaram que o excesso de videoconferência estava levando as pessoas ao cansaço extremo. 

O diretor-fundador do Laboratório de Interação Humana Virtual da Universidade de Stanford (EUA), Jeremy Bailenson, avaliou as consequências psicológicas resultantes da quantidade de horas por dia que as pessoas passam em plataformas como Zoom e Google Meet.

Nessa pesquisa publicada, Bailenson constatou quatro consequências derivadas do exagero na utilização dessas plataformas:

1) Excesso de contato visual intensifica o estresse

Imagine uma reunião presencial. É impossível você observar todos os rostos de uma vez só. Normalmente, nós variamos a troca de olhares: observamos o orador em um momento, depois passamos o olhar para um colega de trabalho, por exemplo.

Em uma reunião online isso não funciona assim. Nos chats de vídeo, o contato visual e o tamanho das faces na tela não são naturais.  

Como explica o pesquisador Bailenson, a ansiedade de falar em público é algo que afeta muitas pessoas, e esse medo se intensifica no contexto digital, pois, enquanto o orador fala, é possível observar as feições de todo mundo.

2) Observar sua própria imagem o tempo inteiro é cansativo

Eis aqui outra grande diferença entre as reuniões online e as presenciais: em uma reunião presencial, nós nunca vemos nosso próprio rosto  - a não ser que exista um espelho perto ou algum telão.

Entretanto, em um encontro online, estamos constantemente observando nossa própria face. Como resultado disso, a preocupação com a própria estética aumenta. Segundo um levantamento do Google, os procedimentos cirúrgicos cresceram significativamente durante a pandemia. 

As rinoplastias tiveram um aumento de 5.000% após o início do isolamento social. A harmonização facial também teve uma procura muito significativa e aumentou 250% em 2020. Esse fenômeno foi chamado de “Efeito Zoom”.

3) As videoconferências reduzem nossa mobilidade

É comum que no trabalho presencial exista maior mobilidade. Afinal, é normal conversarmos com colegas, nos deslocarmos entre departamentos e caminharmos pelas dependências ao nosso redor.

Em uma reunião online isso não acontece, pois o menor desvio de atenção pode significar a perda de uma informação importante. Isso aumenta a pressão sobre quem está conectado, e a falta de movimento causa ainda mais estresse.

4) A carga cognitiva exigida em chats de vídeo é maior

Em uma interação face a face, a comunicação não verbal é natural, isto é, não é tão difícil entender aquele movimento de cabeça da sua chefe ou aquele sinal emitido com a mão pelo seu colega.  

No entanto, Bailenson observou que, em chats de vídeo, o entendimento da comunicação não verbal é muito mais complicado. Por isso, o cérebro precisa de maior esforço para conseguir enviar e receber esses sinais, o que aumenta a exaustão. 

Por que fazer um detox digital? 

Em um mundo digitalizado como o nosso, o excesso de tecnologias na rotina diária é uma realidade que pode resultar em sobrecarga mental e física.  

Nesses momentos, manter distância dos dispositivos digitais por um tempo determinado se torna uma necessidade - que nem sempre pode ser atendida, infelizmente. 

De acordo com este artigo da Forbes, a desintoxicação digital é uma chance de dar uma pausa temporária. Esse momento de descanso do mundo digital pode melhorar a produtividade e trazer uma nova perspectiva sobre nossa vida pessoal e profissional. 

O trabalho remoto tem os seus pontos positivos, mas executar as tarefas profissionais a partir de casa pode ser extremamente exaustivo, caso os limites não sejam bem estabelecidos.  

A ideia de que trabalho remoto significa estar disponível 24 horas por dia para resolver demandas é a causa da sobrecarga conhecida como esgotamento digital. 

Conforme o Mclean Hospital, afiliado da Harvard Medical School, o esgotamento digital, que têm aumentado muito nos últimos anos, causa ansiedade, exaustão e apatia nos profissionais.  

Ao identificar esse esgotamento, a recomendação do hospital é simplesmente se desconectar e relaxar. Contudo, essa não é uma opção para várias pessoas que precisam continuar trabalhando.  

Tendo isso em vista, há quatro opções de ações que podem auxiliar nessa tentativa de diminuir o contato com tecnologias digitais e reduzir a exaustão: 

  1. Não responder as mensagens sempre na hora

  2. O computador (e outros dispositivos) de trabalho deve ficar no trabalho

  3. Diminuir o número de reuniões online, se possível

  4. Não ter tantas contas online em plataformas diferentes. Faça uma limpa e escolha algumas para utilizar. 

Em resumo, desconectar por um tempo e praticar o detox digital é a melhor alternativa para evitar o esgotamento. Se essa for uma opção viável, ela deve ser considerada.

_

E você, já sentiu o esgotamento digital? Se sim, como você lidou com isso? Compartilhe sua experiência nos comentários! ✍🏻 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados