Segurança digital

Autenticação em dois fatores: camada extra de segurança

Você pode reforçar a proteção dos seus dados em dispositivos móveis, aplicativos e contas online de forma gratuita

18 de Fevereiro de 2022 - 06h56 Corrigir A + A -

Por: K2. – Assessoria e Comunicação Digital

contato@k2ponto.com.br

Imagem: creativeart - Freepik

Imagem: creativeart - Freepik

Em 2021, a empresa de segurança cibernética PSafe descobriu dois grandes vazamentos de dados privados no Brasil. No primeiro, em janeiro do último ano, mais de 223 milhões de CPFs de pessoas vivas e falecidas foram vazados na internet. Pouco tempo depois ocorreu o vazamento de aproximadamente 103 milhões de registros de celulares no país, o que prejudicou um grande número de pessoas. 

Os ataques cibernéticos existem há algum tempo. Eles apenas mudam conforme os anos passam. No entanto, durante a pandemia de Covid-19, esses crimes se intensificaram.

Entre as medidas de segurança recomendadas está a autenticação de dois fatores, uma camada de proteção extra que pode ser ativada em contas online e dispositivos como celulares, notebooks e tablets. 

A autenticação de dois fatores - também conhecida como 2FA - funciona da seguinte forma: o usuário pode ativar dois fatores de autenticação e combiná-los, a fim de intensificar a segurança dos seus dados.

Entre as possibilidades de autenticação há a senha, o código PIN (número de identificação pessoal), a resposta a uma pergunta secreta, o reconhecimento facial ou de voz, a biometria e a impressão digital, entre outras opções.

Por que a autenticação em dois fatores faz a diferença?

Em um mundo dominado pelos dados, as senhas que disponibilizamos em contas online e dispositivos móveis são valiosas. Nesse cenário, a proteção se torna essencial para a segurança dos dados pessoais. 

Em resumo, apenas utilizar uma senha não é suficiente, tendo em vista que os ataques cibernéticos são aprimorados constantemente.  

A autenticação em dois fatores dificulta o acesso de hackers aos dispositivos e contas online. Assim, a chance das informações pessoais serem roubadas diminui significativamente. 

Por exemplo, mesmo que o hacker possua acesso à sua senha pessoal (afinal, as senhas são vazadas com frequência), ainda assim ele não conseguirá acessar a sua conta, caso a autenticação em dois fatores esteja ativada, pois é ela que impedirá o acesso. 

De acordo com o Centro Nacional de Cibersegurança do Reino Unido, não importa se as senhas são complexas: elas ainda podem ser vazadas e roubadas, pois os mecanismos digitais utilizados por criminosos estão cada vez mais sofisticados.

Mesmo que suas senhas sejam difíceis de adivinhar, isso não as torna mais difíceis de roubar. Em outras palavras, até contas protegidas com senhas fortes se beneficiarão do uso da verificação em duas etapas”, explica o Centro Nacional de Cibersegurança do Reino Unido.

Aplicativos que oferecem autenticação em dois fatores

A funcionalidade da autenticação em dois fatores é oferecida pelos principais sites e aplicativos da atualidade, como Facebook, Google, Amazon, Instagram, Twitter e empresas nacionais como Mercado Livre e Paypal. 

No entanto, algumas plataformas dificultam a experiência do usuário na hora de aumentar a segurança das contas. 

Segundo a empresa de segurança digital Avast, nos aplicativos do Facebook e do Google, por exemplo, é complicado mudar a função, pois essas empresas têm o hábito de modificar as opções no menu e confundir os usuários na hora de ativar a autenticação em dois fatores. 

Por essa razão, a Avast recomenda utilizar um navegador quando for ativar essa funcionalidade ao invés de acessar por aplicativos móveis, já que a tela do navegador é maior, o que facilita o processo de localização das opções oferecidas. 

A autenticação em dois fatores protege mesmo?

Se você buscar informações pela internet, é provável que encontre relatos de pessoas que sofreram golpes mesmo com a autenticação em dois fatores. Entretanto, esses casos não são comuns em comparação aos ataques a contas e dispositivos que possuem apenas uma senha.

Em outubro de 2021, o Google anunciou seus planos para ativação da autenticação de dois fatores para 150 milhões de usuários que não estavam utilizando o serviço. Além disso, a Big Tech afirmou que exigiria que dois milhões de criadores de conteúdo do YouTube utilizassem a funcionalidade. 

Conforme dados divulgados pela companhia, após quatro meses da iniciativa  houve uma diminuição de 50% nas contas comprometidas entre o grupo de usuários que participou do teste. 

Enquanto a autenticação em dois fatores apresenta uma camada extra de segurança para os usuários, para empresas e organizações isso significa que as estratégias precisam ser planejadas com atenção. 

O cibercrime tem se tornado cada vez mais complexo e os criminosos desenvolvem constantemente novas formas de atacar seus alvos. No entanto, para as empresas, esses ataques podem ser devastadores, pois envolvem grandes quantias de dinheiro.

É justamente por esse motivo que, no caso de empresas e corporações, a autenticação em dois fatores não é suficiente como principal medida de segurança. 

Como aponta uma pesquisa publicada na Harvard Business Review , as empresas não devem utilizar apenas um método de segurança e de verificação de seus clientes. 

Nesse sentido, a autenticação multifatorial se apresenta como uma possibilidade mais segura, pois com ela é possível identificar a identidade de várias maneiras diferentes. 

Por exemplo: empresas que utilizam a autenticação multifatorial podem levar em conta a localização do usuário, a análise comportamental e outros indicadores de identidade. Isso torna a solução muito mais segura e confiável. 

Segundo a Harvard Business Review, nenhum método que tenha uma autenticação única será infalível. Portanto, empresas precisam investir em abordagens multifacetadas que minimizem os riscos de ataques cibernéticos. 

Cada camada de defesa conta. O quadro geral aqui é que nenhum método único de autenticação será sempre adequado para todas as situações”, destaca a pesquisa.

Você já utiliza a autenticação em dois fatores em suas contas online e dispositivos móveis? Conte nos comentários!


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados