Indicadores criminais

Violência contra a mulher, latrocínio, roubos e furtos de veículos apresentam aumento em Pelotas

Dados foram divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Segurança Pública do Estado

10 de Fevereiro de 2020 - 20h03 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

 (Foto: Paulo Rossi - DP)

(Foto: Paulo Rossi - DP)

Os roubos de veículos em Pelotas apresentaram aumento de 111,11%, em relação a janeiro do ano passado quando a cidade registrou nove casos em 2019. O primeiro mês de 2020 encerrou com 19 ocorrências. Os furtos de veículos também tiveram aumento. A elevação de 85,7% em comparação a janeiro do ano passado representa que em 2020 foram 39 ocorrências contra 21 em 2019.

Também em janeiro deste ano, Pelotas registrou um latrocínio, em que a vítima foi o jovem João Pedro Nunes e Silva, 22. O rapaz foi morto com um tiro, durante assalto na rua Almirante Barroso, no Porto. Ano passado o mês de janeiro não registrou roubo seguido de morte.  Os indicadores criminais de janeiro deste ano foram divulgados nesta  segunda-feira (10), pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/RS). O número de pessoas assassinadas no início do ano se manteve o mesmo de 2019, num total de quatro homicídios. 

Apesar dos aumentos, os crimes de roubos e furtos em geral apresentaram redução de 9,9% e 8,3%, respectivamente. Este ano foram 181 registros, média de 5,8 roubos por dia, enquanto em 2019 foram 201 casos, cerca de 6,4 diariamente. Já os crimes de furto foram 262 contra 286 em janeiro do ano passado. 

Violência contra a mulher

Os indicadores de violência contra a mulher praticados em Pelotas no mês de janeiro apresentaram aumento em relação ao ano passado. Em 2020, 105 vítimas prestaram queixa contra os agressores por ameaça; 83 mulheres foram agredidas e dois casos de estupro foram registrados. Em 2019, 89 prestaram queixas de ameaças sofridas, 52 foram vítimas de violência física e um caso de estupro. Não houve registro de feminicídio tentado e consumado. Os crimes de lesão corporal, ameaça e estupro apresentaram aumento de 59,6%, 17,9% e 100%, respectivamente. 

No Estado, 3.359 casos de ameaça, dez feminicídios consumados, 32 tentados, 134 estupros e 2.083 registros de lesão corporal foram contabilizados nos indicadores de violência contra a mulher. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados