Violência

Vídeo mostra policial agredindo mulher em Santa Vitória do Palmar

Gravação ocorreu em abril, durante discussão em uma abordagem da Brigada Militar no município

24 de Maio de 2022 - 14h31 Corrigir A + A -
Militar acerta o rosto da mulher com um tapa (Foto: Reprodução - Internet)

Militar acerta o rosto da mulher com um tapa (Foto: Reprodução - Internet)

Um vídeo que passou a circular recentemente nas redes sociais mostra um policial militar agredindo uma mulher durante uma abordagem no Centro de Santa Vitória do Palmar. A situação envolveu dois policiais, um casal de jovens e três mulheres e ocorreu em abril deste ano.

Na gravação é possível identificar a voz de um homem dizendo: “Filma aí, mano, filma aí. Vai dar uma de louco, mano. Usou todas as drogas, mano”. Durante a discussão, um dos militares é interpelado por uma mulher, que logo é agredida com um tapa no rosto. No momento, é possível ouvir uma das mulheres presentes dizendo ao policial: “Não bate nela, cara. Tá louco, cara? Como tu vai dar nela?”.

Diante da divulgação das imagens e da repercussão nas redes sociais e em grupos de mensagens, o Comando do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM) divulgou uma nota se manifestando sobre o caso. No texto, a Brigada Militar afirma que a ocorrência aconteceu em abril e que o Comando tomou ciência apenas na última segunda-feira (23). Conforme o texto, os brigadianos envolvidos no fato foram afastados de policiamento ostensivo. Além disso, o caso será alvo de investigação interna da Brigada.

Confira a íntegra da nota:

“Na tarde de hoje [segunda] tomamos conhecimento da existência de um vídeo que demonstra a prática de agressão física por parte de um policial militar a uma mulher. Após uma verificação preliminar, constatamos que tal vídeo refere-se a ocorrência policial havida no município de Santa Vitória do Palmar no mês de abril do corrente ano. De imediato foi determinada a instauração de um Inquérito Policial Militar para averiguação completa dos fatos e todas as suas circunstâncias e, ainda, o afastamento da atividade de policiamento ostensivo dos militares envolvidos até o final das investigações. Comunicamos que a Brigada Militar não compactua com o erro, pois estes não são ensinados nas academias de formações da corporação. Não tenham dúvidas de que deste fato será procedida uma averiguação com total imparcialidade e isenção, como é de praxe na Instituição”.

A nota está assinada pelo comandante do 6º BPM, major Marcelo Nunes Ferreira.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados