Golpe

Suspeito de estelionato é preso dentro de agência bancária

Homem foi reconhecido por uma das funcionárias do Banco enquanto estava em um caixa eletrônico

09 de Outubro de 2019 - 17h15 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Material encontrado com o suspeito (Foto: Brigada Militar)

Material encontrado com o suspeito (Foto: Brigada Militar)

Um homem foi preso pela Brigada Militar (BM) dentro da agência Estilo do Banco do Brasil, na rua Lobo da Costa, com cinco cartões de crédito de vítimas de estelionato. O suspeito foi reconhecido por uma funcionária do banco no momento em que ela saía para almoçar. R.C.R.F., 26, estava em um dos caixas eletrônicos fazendo pagamentos ao Detran e transações financeiras de altos valores no momento em que foi reconhecido. "Ele esteve aqui ontem mas chamamos a polícia que infelizmente não chegou a tempo. Hoje ele voltou e consegui identificá-lo. Para não fazer injustiça chamei outros colegas que também o reconheceram", contou a servidora.

Segundo a funcionária, o homem foi reconhecido após uma vítima ir até o banco e explicar que havia caído em um golpe. No sistema foi possível identificar que o suspeito havia feito movimentações na agência e realizado diversas compras no comércio de Pelotas. "Vimos ele pelas câmeras e acreditamos que possivelmente ele iria voltar e voltou", explicou.

A Brigada Militar chegou ao estabelecimento e ao abordar R.C.R.F., localizou dinheiro e diversos cartões com  suspeito. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) e autuado pelo crime de furto mediante fraude. O criminoso foi encaminhado ao Presídio Regional de Pelotas (PRP). 

Conforme a titular da 1ª Delegacia de Pelotas e responsável por uma investigação de casos que envolvem o golpe do cartão de crédito, Lisiane Mattarredona, o homem é investigado por participar de um grupo oriundo de São Paulo que aplica os golpes. Os criminosos se passam por funcionários de instituições bancárias, ligam para o telefone residencial da vítima e perguntam se ela fez a compra "x" no cartão. Com a negativa, os estelionatários orientam a ligar para o 0800 que está no verso. A delegada explica que, como a ligação é feita para telefone fixo, no momento em que a vítima desliga, os golpistas continuam na linha. "Por estarem muito nervosas, as pessoas não percebem que os bandidos continuam na linha e ligam para o número indicado que acaba caindo nos estelionatários. Com isso, elas seguem as orientações dos bandidos porque acreditam estar falando com o banco e passam os números de senhas e outras informações", explicou.

A Polícia Civil já identificou que os criminosos possuem, inclusive, "jingles" dos bancos para que a pessoa acredite que está falando com funcionário da instituição. Depois de feita a ligação, os bandidos conseguem fazer com que a vítima digite a senha do cartão e, através de um sistema de computação, capturam os números confidenciais. Logo em seguida, orientam a pessoa a quebrar o cartão ao meio e informam que servidores do banco ou da Polícia Civil irão buscar o cartão quebrado. "A polícia não faz esse tipo de serviço, exceto, se for uma intimação ou mandado judicial", alertou a delegada.

Na 1ª DP, há relatos de vítimas que contaram que um homem bem vestido e com crachá de identificação foi até a casa e pegou o cartão quebrado.

Denuncie

Polícia Civil - 197

1ªDP - 3225-2599


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados