Aparelho

STT está sem bafômetro há quase três meses

Agentes de trânsito têm usado equipamentos emprestados pela Brigada Militar ou pela PRF

12 de Março de 2019 - 10h15 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Aparelho. Inmetro informou que até abril a situação deverá ser normalizada. (Foto: Infocenter DP)

Aparelho. Inmetro informou que até abril a situação deverá ser normalizada. (Foto: Infocenter DP)

Há quase três meses a Secretaria de Transporte e Trânsito (STT) de Pelotas está sem os aparelhos de bafômetro. Para driblar as dificuldades, os agentes de trânsito realizam blitze e ações com instrumentos que têm sido emprestados pela Brigada Militar (BM) ou pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). A informação foi confirmada pelo chefe da pasta, Flávio Al Alam.

Segundo o secretário da STT, os equipamentos que medem a concentração de álcool etílico na corrente sanguínea de uma pessoa, mediante a análise do ar pulmonar profundo, não estão sendo utilizados por conta de atrasos por parte do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para liberar o uso dos dois aparelhos. “Essa situação tem nos causado muitos transtornos, temos feito nosso trabalho do jeito que dá”, disse. Ainda segundo o secretário, a STT tinha outros instrumentos que estavam sendo utilizados, mas acabaram perdendo a validade e por isso saíram de circulação.

Há menos de duas semanas aconteceu um acidente no centro de Pelotas envolvendo cinco veículos, entre eles uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que trafegava pela rua Doutor Amarante e ao cruzar na rua Padre Anchieta foi atingida na lateral direita por um Ford Focus. Devido ao forte impacto, o veículo do Samu veio a tombar na pista, atingindo outro automóvel. Este, por sua vez, colidiu com um carro estacionado em via pública. Enquanto isso, o motorista do Focus perdeu o controle do veículo e colidiu em automóvel que também se encontrava estacionado na rua Padre Anchieta. Na ocasião, um médico legista verificou que o motorista do Focus não apresentava sinais de embriaguez. No entanto, no boletim de ocorrência registrado pelos agentes de trânsito foi informado que não havia sido aplicado o bafômetro por conta da falta de equipamentos. “A liberação para que os aparelhos voltem a ser usados não depende de nós. Isso realmente tem nos causado muitos transtornos”, disse Al Alam.

O Inmetro, em Porto Alegre, responsável pelo setor dos bafômetros, informou que desde agosto do ano passado a calibragem do gás usado nos aparelhos está suspensa devido à adequação de padrões. O serviço de aferição é realizado no Rio de Janeiro e atingiu outros estados, além do RS. De acordo com o Inmetro, a previsão é de que a situação comece a ser regularizada em abril deste ano.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados