Denúncia

Sala destinada ao atendimento de mulheres vítimas de violência é inaugurada em Pelotas

No espaço com atendimento 24 horas, as vítimas podem solicitar Medidas Protetivas de Urgência, registrar ocorrência e demais encaminhamentos previstos na Lei Maria da Penha

06 de Novembro de 2019 - 16h45 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

 (Foto: Jô Folha - DP)

(Foto: Jô Folha - DP)

 (Foto: Jô Folha - DP)

(Foto: Jô Folha - DP)

 (Foto: Jô Folha - DP)

(Foto: Jô Folha - DP)

Pelotas é o sexto município do Estado a contar com a Sala das Margaridas, espaço reservado destinado ao atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). A Sala especializada foi inaugurada nesta quarta-feira (6), com a presença da Chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegada Nadine Anflor. 

A Sala das Margaridas faz parte do projeto de atendimento humanizado e promete acolhimento para que a vítima se sinta segura na hora de denunciar a violência sofrida. Para atuar no espaço especializado, agentes da Polícia Civil passaram por treinamento. Conforme Nadine, a preferência é de que policiais mulheres atendam esse tipo de ocorrência. "Os servidores estão aptos para atender mulheres em situação de violência mas a preferência é de que as policiais deem os primeiros atendimentos já que a vítima se sente mais segura sendo atendida pelas servidoras", disse a Chefe da Polícia Civil. 

No espaço com atendimento 24 horas, as vítimas podem solicitar Medidas Protetivas de Urgência, registrar ocorrência e demais encaminhamentos previstos na Lei Maria da Penha. "A inauguração da Sala das Margaridas é um passo a mais na especialização da Polícia Civil. Significa dar importância à vida", comentou o titular da 18ª Delegacia de Polícia Regional, Márcio Steffens. 

Durante a cerimônia de inauguração, a delegada Nadine disse que 70% dos feminicídios ocorridos no Rio Grande do Sul não chegaram às delegacias porque as vítimas nunca procuraram a polícia para denunciar a violência. "Quando a gente salva uma mulher, a gente salva uma família. Esse espaço inaugurado pode ser pequeno no tamanho mas é o maior da região em acolhimento".  

Para coordenadora do Centro Pop, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) I e II e integrante do grupo Mulheres de Pelotas, Luciana Custódio, a instalação da Sala das Margaridas representa avanço e amplia o atendimento às vítimas. "Nossa luta era por uma Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher que funcionasse 24 horas mas o novo espaço garante atendimento de qualidade para quem tanto precisa", disse. 

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do RS, de janeiro até setembro de 2019, 704 mulheres prestaram queixas de ameaça, 475 sofreram agressões físicas, 23 vítimas de estupro, dois feminicídios consumados e sete tentativas, em Pelotas.  


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados