Sistema penitenciário

Presos da Perg irão confeccionar máscaras de prevenção ao coronavírus

Inicialmente, elas serão distribuídas nas cadeias da Região Sul; a intenção é destinar também às instituições de caridade e de saúde

07 de Abril de 2020 - 18h42 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

 (Foto: Carlos Queiroz - DP)

(Foto: Carlos Queiroz - DP)

Com informações da Susepe

A Penitenciária Estadual de Rio Grande (Perg) inicia, nos próximos dias, a produção de máscaras descartáveis para prevenção da covid-19 no sistema penitenciário.

De acordo com o diretor da casa priosional, Leandro Suanes, inicialmente, as máscaras serão confeccionadas e distribuídas nos presídios da Região Sul. Depois, a intenção é destiná-las às instituições de caridade e de saúde. Conforme Suanes, sete detentos que já trabalham em oficinas de costura irão produzir as máscaras. "Estamos esperando a chegada do material para dar início aos trabalhos. Ainda não sabemos a quantidade que será produzida porque depende do material que irá chegar", disse. Os insumos necessários para a confecção das máscaras de TNT foram comprados com verba da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

A Susepe a Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e Susepe anunciaram a produção de máscaras de proteção em fábricas adaptadas nas casas prisionais de todas as dez delegacias penitenciárias do Estado, para conter a disseminação do novo coronavírus. A previsão é de que diariamente sejam produzidas quatro mil peças, com 87 máquinas em operação. A Seapen e Susepe seguem a resolução 356, de 23 de março, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que dispõe, de forma extraordinária e temporária sobre os requisitos para a fabricação da peças, que são confeccionadas em tecidos TNT duplo. Cerca de 200 presos de várias regiões do estado, de penitenciárias masculinas e femininas, vão confeccionar os materiais descartáveis para uso em procedimentos simples não-cirúrgicos. E a estimativa é de que produzam 87 mil peças até o fim de abril. Ainda não há, no entanto, confirmação do início das confecções no Presídio Regional de Pelotas (PRP).

Em Rio Grande, 200 detentos dos regimes semiaberto, aberto e presos que se encaixam no grupo de risco receberam o benefício da prisão domiciliar, conforme recomendação co Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para previnir a disseminação da covid-19 nos presídios. Cerca de 15% dos apenados que foram beneficiados com a medida já retornaram à Perg.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados