Pandemia

Presídios da região retomam as visitas presenciais

O processo se inicia por Canguçu, Jaguarão e Camaquã. Em Pelotas, só a partir da próxima semana

21 de Outubro de 2020 - 09h01 Corrigir A + A -
Liberação. Presos de Canguçu poderão ver seus familiares. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Liberação. Presos de Canguçu poderão ver seus familiares. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Após sete meses suspensas por conta das restrições sanitárias impostas pela pandemia, foram retomadas as visitas presenciais em diversas casas prisionais do Estado. Amanhã será a vez dos presídios de Canguçu, Jaguarão e Camaquã. O plano de retomada, atualizado na Nota Técnica 01/2020 e divulgado no dia 16 de outubro pela Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), foi elaborado de acordo com o modelo de Distanciamento Controlado formulado pelo Governo do Estado para o enfrentamento à Covid-19, trazendo diretrizes e protocolos que evoluem de acordo com o sistema de bandeiras.

As visitas presenciais na 5ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR) se iniciam por Canguçu, Jaguarão e Camaquã. Já no Presídio Regional de Pelotas (PRP), os presos das galerias C e D e os do seguro não querem a volta da visitação conforme as condições do Plano de Retomada. Diferente posição têm os presos da galeria C, provisórios, e da cozinha geral, que reconsideraram itens do Plano de Retomada e deverão receber as visitas também nesta quarta. A delegada penitenciária da região, Deisy Vergara, explicou que, no anexo do PRP, estão alojados os presos trabalhadores, que também demonstraram interesse na volta da visitação. Uma data será marcada para a próxima semana.

Sobre a Penitenciária Estadual de Rio Grande (Perg) e o Presídio Estadual de Santa Vitória do Palmar, as direções deverão realizar reuniões para definir as datas para a volta das visitas. A retomada se dá no momento em que os indicadores relacionados à pandemia apresentam melhoras consistentes, com redução das taxas de contaminação, internações e óbitos, conforme evidenciam o mapa do distanciamento controlado, apresentado semanalmente pelo governo gaúcho, e o boletim diário de monitoramento da Covid-19 no sistema penitenciário, o que viabiliza o retorno das visitas presenciais, sem que servidores penitenciários, pessoas presas e familiares sejam expostos a riscos excessivos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados