Solidariedade

Policial pede ajuda para realizar tratamento

Michel Feijó, de 28 anos, sofreu um acidente em serviço em 2019, em Rio Grande, e precisa arrecadar R$ 450 mil para poder voltar a andar

11 de Janeiro de 2021 - 19h49 Corrigir A + A -
Michel teve evolução após sessões de fisioterapia

Michel teve evolução após sessões de fisioterapia

O militar com o filho Bento, que ainda não completou dois anos

O militar com o filho Bento, que ainda não completou dois anos

Um acidente ocorrido em agosto de 2019 marcou pra sempre a vida do soldado Michel Feijó. O turno de trabalho na Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam) se aproximava do fim em Rio Grande quando chegou a informação de que havia uma moto em fuga. Michel prontamente saiu em perseguição, mas acabou colidindo a sua motocicleta em um veículo que cortou sua frente durante o percurso. O soldado foi arremessado a mais de 12 metros e fraturou a coluna vertebral em várias partes.

A medula espinhal de Michel foi comprimida na altura das vértebras T4 e T5. Ele precisou ficar hospitalizado por um mês até receber alta. Como resultado do impacto, o soldado perdeu a sensibilidade no corpo da região mamilar até os pés. Alguns estímulos são sentidos nas pernas, nos músculos fundos da lombar e no abdômen. Apesar do ceticismo de alguns médicos consultados, desde a chegada ao hospital, o militar e a família não desistem e continuam à procura de um recurso terapêutico que lhe permita voltar à função de servir e proteger a sociedade.

E foi assim, à base de pesquisa e muita esperança, que o irmão de Michel, Muryel Feijó, encontrou um tratamento inovador para a lesão medular espinhal, O primeiro obstáculo é a distância: a realização é na Tailândia. A intervenção ocorre a partir de uma estimulação epidural, que se trata de uma aplicação de corrente elétrica na parte inferior da medula espinhal, o que pode ativar os circuitos nervosos locais da medula, simulando os sinais do cérebro. Combinada a um extensivo trabalho de fisioterapia, mapeamento e programação, a estimulação pode “ensinar” o corpo a controlar os movimentos. Em alguns casos, o procedimento é aliado a terapias com células-tronco para potencializar os resultados. Daí surge o segundo obstáculo: o recurso financeiro. A cirurgia custa US$ 83 mil, o equivalente a cerca de R$ 450 mil.

Familiares do militar lançaram uma arrecadação on-line para tentar obter o montante. Até esta segunda-feira (11), através do auxílio de 722 apoiadores, havia R$ 46 mil na conta, o que equivale a pouco mais de 10% do necessário. Em um vídeo publicado pela Rocam de Rio Grande no YouTube, Michel pede a contribuição da comunidade para poder realizar o sonho de voltar a caminhar e a trabalhar com aquilo que ama. “Eu quero criar o meu filho, poder jogar bola, levá-lo no batalhão onde eu trabalho e também poder voltar a atuar na polícia. Quero voltar a ter a vida que eu tinha, para proteger a minha família e voltar às ruas por todo mundo”, diz o policial, emocionado.

Além da vaquinha, a família do soldado também tem uma rifa de duas camisas da dupla Gre-Nal autografadas. Cada número está sendo vendido a R$ 10,00 e o sorteio será realizado no dia 20 de fevereiro. Para ter mais informações e ajudar Michel, é possível entrar em contato pelo número (53) 99909-9826. “Esperamos que ele melhore, pra fazer as coisas dele e também pra aproveitar, com força e com fé, essa nova oportunidade que Deus deu a ele”, disse o pai de Michel, Antônio Feijó, também militar.

Como ajudar

Acesse a vaquinha - bit.ly/vaquinha-soldado-michel
Compre a rifa - Informações pelo telefone (53) 99951-7328

Confira o vídeo publicado pela Rocam de Rio Grande:


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados