Pandemia

Polícia Federal monta postos de controle em Jaguarão e Chui

Mais três cidades fronteiriças estão sendo monitoradas para a entrada de estrangeiros do Uruguai

24 de Março de 2020 - 13h05 Corrigir A + A -
PF, PRF, Receita Federal e Exército atuam em conjunto no controle.  (Foto: Divulgação - DP)

PF, PRF, Receita Federal e Exército atuam em conjunto no controle. (Foto: Divulgação - DP)

A Polícia Federal, com o apoio do Exército Brasileiro, da Polícia Rodoviária Federal e da Receita Federal, iniciou, na segunda-feira, a intensificação da fiscalização do controle de entrada de estrangeiros provenientes da República Oriental do Uruguai.

A medida se deve em virtude da publicação da Portaria 132, da Casa Civil da Presidência da República e dos ministérios da Justiça e Segurança Pública e da Saúde. A restrição de entrada no país não se aplica, entre outros casos, aos estrangeiros residentes no Brasil e aos fronteiriços.

Os postos de controle migratório da Polícia Federal na fronteira do Brasil com o Uruguai estão localizados nas cidades do Chuí, Jaguarão, Aceguá, Santana do Livramento e Quaraí. O descumprimento das medidas disciplinadas pela Portaria implicará na responsabilização civil, administrativa e penal do agente infrator e na deportação imediata do infrator e na inabilitação do pedido de refúgio.

Alento
O prefeito de Jaguarão, Fávio Tales, havia solicitado o fechamento da fronteira, através de barreira física, seja nas entradas de Jaguarão e Rio Branco. Excursões e turistas vindos para ambos os países sejam trancados e orientados no Porto Seco (Jaguarão) e no Passo de Fronteira (Rio Branco), para que retornem às suas cidades de origem.

Na questão dos cidadãos fronteiriços, como prevê na Portaria Presidencial, terão livre acesso, porém serão submetidos a uma barreira sanitária, com verificação de temperatura, levantamento de dados de saúde, entre outras observações, sendo que os casos suspeitos serão encaminhados para isolamento, cuidados especiais ou triagem. Na última atualização, a cidade tinha dois casos suspeitos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados