Violência

Polícia Civil envia inquérito sobre morte de menina em Santana da Boa Vista

Delegada responsável pelo caso indiciou o autor, preso em flagrante, por feminicídio, estupro de vulnerável e ocultação de cadáver

25 de Junho de 2020 - 16h08 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Crime aconteceu no dia 10 de junho (Foto: Reprodução)

Crime aconteceu no dia 10 de junho (Foto: Reprodução)

A responsável pela Delegacia de Polícia de Santana da Boa Vista, delegada Débora Dias, encaminhou à Justiça o inquérito policial que apurou a morte e o estupro de uma menina de 12 anos de idade, ocorrido no dia 10 deste mês, e que chocou a população do município de pouco mais de oito mil habitantes. As autoridades investigam agora uma tentativa de feminicídio, ocorrida na quarta-feira, no interior do município, que resultou na apreensão de grande quantidade de munições.

Sobre o inquérito, a delegada Débora disse que o indiciado de 29 anos, preso em flagrante no local do crime, foi ouvido na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Santa Maria, no dia 18, quando assumiu a autoria do crime. "No entanto, ele negou a violência sexual", aponta a delegada. A autoridade policial contou que o homem afirmou ter mentido para a vítima que a mãe dele (costureira que a menina procurava) estava em casa e a mandou entrar. Logo em seguida, pediu que ela subisse uma escada que vai para o segundo piso da casa para encontrar a mãe e foi atrás, atacando a adolescente de surpresa.

"Ele foi indiciado por feminicídio e por mais qualificadoras: asfixia e por recurso que impossibilitou a defesa da vítima, ainda por estupro de vulnerável e ocultação de cadáver", confirmou. Para a polícia, em análise rápida do aparelho de celular do investigado, apreendido no momento do flagrante, foi verificado que há indícios de crimes sexuais contra crianças e adolescentes. "Foi instaurado outro inquérito para a devida apuração e esclarecimento total dos fatos".

Relembre

No dia 10 deste mês, a menina foi levar peças de roupas na casa de uma costureira, mas não a encontrou. Na residência estava apenas o filho, autor do crime. A mãe da adolescente desconfiou da demora e foi até o local, onde encontrou - na porta da casa - o par do tênis da filha. A Brigada Militar foi até o local e o acusado negou que a menina estivesse na casa, mas depois permitiu a entrada dos policiais militares, que encontraram o corpo da vítima em um roupeiro, com um cachecol enrolado no pescoço. O acusado está detido no Presídio de Caçapava do Sul.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados