Violência

Pelotas registra primeiro homicídio do ano

Vítima retornava dos festejos da Virada, às 6h, quando foi assassinada com um tiro na cabeça, no bairro Areal; no Porto ocorreu uma tentativa de homicídio

01 de Janeiro de 2021 - 10h52 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

As primeiras horas de 2021 começaram com violência, em Pelotas. Até as 6h30min já havia um homicídio e uma tentativa de homicídio registrados.

A vítima é Carlos Augusto da Silva Vieira, de 36 anos, atingido com um tiro na cabeça. O homem chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu ao dar entrada no Pronto-Socorro de Pelotas (PSP). Os dois suspeitos estão foragidos.

Em depoimento à Polícia Civil, a companheira de Carlos Augusto contou que eles retornavam das celebrações de Ano-Novo, quando ele teria caído da bicicleta, próximo à casa da mãe dele, onde pernoitariam, na rua Fagundes Varela, no bairro Areal. Um grupo que estava no local teria começado a rir, formou-se então uma discussão e Carlos Augusto teria passado a ser agredido. Ao levantar-se, acabou atingido com um tiro na cabeça.

Uma pessoa que se identificou como paramédico chegou a prestar primeiros socorros enquanto aguardavam a ambulância do Samu. O homem não resistiu ao ferimento e tornou-se a primeira vítima de homicídio, em Pelotas, em 2021.

Meia hora depois, outro caso de violência

Eram 6h30min quando as vítimas estavam em frente à residência na rua Pedro Osório de Brito, no Porto, encerrando as comemorações de Ano-Novo. Ao perceber que dois homens caminhavam em direção à família, a mulher identificou que um deles era a mesma pessoa com quem o marido possuía desentendimento anterior. Para evitar maior confusão, ela entrou na frente e empurrou um dos homens. Foi quando acabou agredida por um bastão no braço esquerdo e apelou que o marido e o filho fossem para dentro de casa.

O jovem revidou a violência com pedaços de tijolos, que não teriam atingido os dois homens. O antigo adversário sacou, então, uma arma e teria efetuado vários disparos, mas ninguém foi ferido. A mulher recolheu cartuchos e apresentou à Polícia Civil para comprovar a situação de violência ocorrida na primeira manhã do ano, em Pelotas.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados