Proteção

Operação Papai Noel da BM ocorrerá no Centro e nos bairros

Ações foram lançadas na manhã desta segunda e devem ocorrer até o início de janeiro

06 de Dezembro de 2021 - 21h47 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Comércio. Forças integradas vão intensificar as atividades (Foto: Jô Folha - DP)

Comércio. Forças integradas vão intensificar as atividades (Foto: Jô Folha - DP)

Dicas. Consumidores devem evitar bolsas abertas e celulares à vista (Foto: Jô Folha - DP)

Dicas. Consumidores devem evitar bolsas abertas e celulares à vista (Foto: Jô Folha - DP)

Com o dinheiro extra liberado pela primeira parcela do 13º salário e a proximidade do Natal, o fluxo de pessoas circulando pelo Centro de Pelotas aumenta bastante nesta época do ano. Da mesma forma, como já é tradicional, a Operação Papai Noel, lançada nesta segunda-feira (6) no largo Edmar Fetter, irá reforçar o policiamento até janeiro. O diferencial é que com dados do Observatório de Segurança Pública de Pelotas, o 4º BPM percebeu que o comércio nos bairros também foi fortalecido e precisa de atenção, pois com maior poder de consumo “provoca intenções criminosas maiores”, considerou o comandante do batalhão, major Paulo Renato Scherdien.

“Nossa principal ameaça é o roubo. Mas com as pessoas circulando com dinheiro nessa época do ano, aumentam os furtos”, apontou Scherdien no discurso para as equipes de Segurança da cidade, uma vez que diferentemente de todo o Estado, em Pelotas a Brigada Militar conta com o apoio da Guarda Municipal, agentes de Trânsito, fiscais da Vigilância Sanitária, Polícia Civil e Bombeiros, que atuam de forma integrada. “A nossa ideia na próxima semana é colocar policiais militares transitando a pé para estarmos mais próximos da população e aumentarmos, assim, a sensação de segurança. A proposta é também lançar um olhar mais vigilante e um posicionamento estratégico para evitarmos crimes como o furto ‘mão-grande’. Pedimos que a população também tome precauções como não andar com bolsas abertas e com celular à vista.”

Em uma breve circulada pelo Calçadão, na manhã de ontem foi possível observar que são raros os momentos de descuido, uma vez que a maioria anda com a bolsa junto ao corpo e com a mão protegendo. “Quando venho ao Centro só trago o cartão do ônibus, ou quando tenho que receber o cartão do banco. Não tenho celular, pois uma vez me assaltaram e levaram tudo”, disse a aposentada Mara Lúcia Mesko, de 67 anos. Ela confessou à reportagem que em dias de pagamento tem um lugar secreto para carregar o dinheiro e mantê-lo protegido dos ladrões.

Reforço

A Operação Papai Noel será marcada pela intensificação das ações de policiamento, além da fiscalização do trânsito e do comércio.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados