Trabalho

Município articula trabalho de acompanhamento social com apenados

Projeto irá integrar secretarias da Prefeitura e instituições penais, para construir uma rede de apoio responsável por realizar o acompanhamento social de apenados monitorados eletronicamente e suas famílias

25 de Novembro de 2021 - 22h27 Corrigir A + A -

A semana foi marcada pela realização do encontro para alinhar o início do trabalho de acompanhamento social com apenados, entre Prefeitura, 5ª Delegacia Penitenciária Regional (5ª DPR) e Instituto Penal de Monitoramento Eletrônico da 5ª Região (IPME 5). O foco do projeto intersetorial, que está inserido no Pacto Pelotas pela Paz e irá integrar diferentes secretarias e instituições penais, será diminuir a reincidência criminal e prevenção da violência com os filhos dos monitorandos. 

O desejo de construir uma rede de apoio responsável por realizar o acompanhamento social aos monitorandos surgiu em 2020, de acordo com a assessora especial e coordenadora executiva do Pacto, Aline Crochemore. Conversas foram mantidas, desde então, entre Aline e a coordenadora do Observatório de Segurança Pública e Prevenção Social, a guarda municipal Cintia Aires, representando o Município, juntamente com a responsável pela 5ª DPR, Deisy Vergara, e a equipe do IPME 5, coordenado por Antônio Reisser, a fim de estruturar e viabilizar a iniciativa. 

A partir daí, os programas do Pacto Pelotas pela Paz, Mão de Obra Prisional, Cada Jovem Conta, ACT - Criando Crianças em Ambientes Seguros e Justiça Restaurativa, ao lado das secretarias de Educação e Desporto (Smed), Assistência Social (SAS) e Saúde (SMS), a 5ª Delegacia Penitenciária Regional e o Instituto Penal de Monitoramento Eletrônico da 5ª Região consolidaram-se como um grupo fortalecido, conforme explica Aline Crochemore. Dessa forma, nesta quarta-feira, ocorreu o primeiro encontro para iniciar o projeto de execução com o grupo-piloto. 

A metodologia de acompanhamento integrado é similar à desenvolvida pelo Cada Jovem Conta, iniciativa na qual iniciativas intersetoriais são organizadas para identificar e acompanhar o público-alvo e construir um plano único de ação preventiva. O trabalho de acompanhamento social da Prefeitura começará com apenados que fazem parte do MOP, com prioridade às mulheres e homens que possuem filhos.

A equipe realizará estudos de caso e, a partir deles, dará encaminhamentos necessários de acordo com cada família e suas particularidades. “Estamos unidos em prol de melhorar o suporte social dos monitorados, para reduzir a reincidência criminal entre eles e fortalecer a prevenção da violência familiar com os filhos”, defendeu Aline


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados