Segurança

Morte de homem negro antecipa anúncio sobre Delegacia da Intolerância no RS

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido em um hipermercado em Porto Alegre; duas pessoas estão presas

20 de Novembro de 2020 - 11h31 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Imagens gravadas mostram o momento que a vítima foi agredida. (Foto: Reprodução)

Imagens gravadas mostram o momento que a vítima foi agredida. (Foto: Reprodução)

"Vamos apurar esse fato a sua exaustão, não podemos admitir ações dessa natureza. As imagens são horripilantes, a Segurança Pública de nosso estado fará tudo para o seu total esclarecimento." A afirmação é do vice-governador do Estado e secretário de Segurança Pública (SSP), Ranolfo Vieira Júnior diante do episódio que virou noticiário nacional: a morte de um homem negro de 40 anos, após ter sido agredido pelos segurança de um hipermercado em Porto Alegre, às vésperas do Dia da Consciência Negra. João Alberto Silveira Freitas teria discutido com uma fiscal de caixa e foi acompanhado até a saída do estabelecimento, onde iniciaram as agressões. Tudo foi registrados por câmeras de segurança e de clientes do estabelecimento.

A Brigada Militar atendeu ocorrência e duas pessoas estão presas, uma delas é policial militar temporário. Os vídeos postados em redes sociais mostram o homem sendo espancado com vários socos no rosto, ao deixar a porta do hipermercado. Ele chega a tentar revidar e grita para que deixem ele ir, mas acaba sendo derrubado no chão. Mais duas pessoas foram identificadas e deverão responder a inquérito. Pelo boletim de ocorrência: "na tentativa de segurar o indivíduo, foi utilizada força demasiada acarretando na morte do homem".

Anúncio

A partir do episódio, o governador do Estado, Eduardo Leite, ao lado da chefe de Polícia Civil do Estado, Nadine Anflor, e do comandante Geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, anunciou por vídeo, que no dia 10 de dezembro - Dia dos Direito Humanos - será inaugurada a Delegacia da Intolerância, que tratará especificamente sobre esse tipo de crimes. Também no dia da Consciência Negra, a Polícia Civil lançou cartilhas sobre crimes de intolerância. A primeira cartilha, sobre racismo, já está disponível para download no site da instituição, no banner “Crimes de intolerância”.

"Este crime está sendo apurado para que sejam punidos os culpados, com muito rigor. Aqueles que estiveram envolvidos estão detidos e já foi instaurado o inquérito sobre o homicídio triplamente qualificado", disse Eduardo Leite ao se solidarizar com a família da vítima. Nadine disse que a Polícia Civil dará uma resposta à sociedade e o coronel Picon informou que o vigilante que é PM temporário, ou seja, só atuava administrativamente e deverá ser desligado da corporação. Eduardo Leite disse ainda que a Secretaria de Justiça e Direito Humano vai acompanhar o caso.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados