Estatística

Menores que cumprem medidas socioeducativas no país já são 37 mil

Pelotas tem hoje 119 ocorrências envolvendo menores infratores. A vizinha Rio Grande tem 162

17 de Junho de 2022 - 08h30 Corrigir A + A -
Infratores: Em 24 horas, oito menores foram apreendidos em Rio Grande (Foto: Divulgação - DP)

Infratores: Em 24 horas, oito menores foram apreendidos em Rio Grande (Foto: Divulgação - DP)

A violência é um dos problemas sociais mais graves que a população brasileira enfrenta atualmente. Casos que envolvem jovens em atos infracionais, e que estão aumentando, geram na sociedade um grande impacto, provocando inúmeros questionamentos em relação à responsabilidade dos adolescentes. E eles se envolvem em atos criminais dos mais violentos como roubos, homicídios e até latrocínios. De acordo com dados da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, mais de 37 mil menores infratores estão hoje em regimes de internação, internação provisória e semiliberdade no país.

Em Pelotas, de 1º de janeiro até hoje, foram apreendidos 55 menores, em ocorrências da Brigada Militar. Cerca de 30% estão envolvidos com o tráfico. O restante se divide em outros crimes, como furto, roubo e porte de arma. A delegada Lisiane Matarredona, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Pelotas, diz que este ano a especializada atendeu 119 ocorrências policiais, envolvendo procedimentos de atos infracionais.

A policial apontou que, no mês de abril, um adolescente foi apreendido e internado no Case, em uma ocorrência de tentativa de homicídio. Também executou uma medida de recolhimento de um adolescente que praticou diversos furtos. Ele estava internado em Porto Alegre, de onde fugiu para Pelotas, se envolvendo em uma situação de furto qualificado e foi novamente encaminhado para o Case de Porto Alegre.

Rio Grande

Em Rio Grande, conforme os dados divulgados pela titular da 7ª Delegacia Regional, Lígia Furlanetto, das 62 mortes violentas, 14 têm o envolvimento de adolescentes. Outros quatro são vítimas de homicídio consumado. Os números vão além: basta verificar os dados divulgados pela Divisão de Planejamento e Coordenação (Diplanco) da Polícia Civil. Foram 162 ocorrências até o final de maio, envolvendo menores infratores em 2022, sendo 73 por tráfico e 17 por posse ou porte de arma.

“É necessário que a sociedade como um todo reflita a respeito dos motivos que levam centenas de adolescentes a se identificarem com facções criminosas e as tenham como referência de grupo social, e não mais a família e a escola”, observa a delegada Lígia. Destaca-se ainda que, em 24 horas, oito menores foram apreendidos. Entre eles, uma menina de 13 anos que estava armada com um revólver.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados