Ocupação

Menores iniciam revitalização do Case

Projeto idealizado por um agente socioeducador proporciona atividades para 20 internos

11 de Abril de 2019 - 11h30 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Melhorias. Adolescentes realizam trabalhos de pintura na Unidade. (Foto: Divulgação)

Melhorias. Adolescentes realizam trabalhos de pintura na Unidade. (Foto: Divulgação)

O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Pelotas colocou em prática, em seu espaço físico, o projeto intitulado Novas Condutas, que prevê a revitalização interna da Unidade através da mão de obra dos menores.

De acordo com o diretor do Case Pelotas, Israel Costa, o projeto foi idealizado em agosto do ano passado, a partir da sugestão de um agente socioeducador. “É um prédio antigo e, diante da situação, o funcionário propôs a ideia que foi acolhida”, explicou. Segundo ele, aproximadamente 20 socioeducandos que exercem atividades externas e os que não podem sair da Unidade participam do projeto que, entre outros objetivos, visa incentivar o interesse pela pintura predial e o desenvolvimento das habilidades necessárias para seu exercício. “A perspectiva é de que os adolescentes pintem as duas galerias, ginásio, dormitórios e demais dependências que se considerar necessário.”

Israel Costa explica que os trabalhos estão adiantados e a ideia é de reformar o local, possibilitando ao adolescente uma consciência da importância de viver em um ambiente mais limpo, organizado e saudável, e também oportunizar que os jovens possam atuar em prol de sua profissionalização para buscarem espaço no mercado, quando forem desligados do sistema. “É importante que eles desenvolvam atividades que possam ajudá-los futuramente.”

O responsável por ministrar as atividades no Case Pelotas, o oficineiro e agente socioeducador Carlos André Fonseca, disse que a meta é ocupar o turno inverso ao das atividades escolares, modificando o espaço onde estes jovens cumprem medida socioeducativa, com o objetivo de embelezar as dependências da unidade e oportunizar um aprendizado dentro e fora do Case de um ofício que possibilite gerar renda após o término da medida. “Se as aulas deles são no período da manhã, o serviço é realizado na tarde e vice-versa”, explicou o diretor Israel.

Os materiais de trabalho fornecidos aos adolescentes para a prática das atividades são os mesmos utilizados por qualquer profissional que atue na área da pintura residencial e predial: tintas, selador, massas corrida e acrílica, pincéis, rolo de textura, de lã e de espuma, lixas, bandeja de pintura, fitas, espátulas, trinchas e massa corrida. “Conseguimos tintas com a Fase em Porto Alegre, que disponibilizou os materiais para realização do projeto.”

*Com informações do Case


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados