Prisões

Investigação aponta que homem foi morto por testemunhar contra organização criminosa

Renato Beloni Viegas foi morto em frente ao imóvel em que morava, na rua Euclides Lopes Vasconcelos, no Capão do Leão

07 de Março de 2019 - 11h10 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

A partir do depoimento da vítima, a organização, então, teria ordenado a execução de Renato que, segundo familiares, era contra a presença de facção no loteamento Parque Fragata. A ordem de execução partiu de dentro do sistema penitenciário.  (Foto: Polícia Civil)

A partir do depoimento da vítima, a organização, então, teria ordenado a execução de Renato que, segundo familiares, era contra a presença de facção no loteamento Parque Fragata. A ordem de execução partiu de dentro do sistema penitenciário. (Foto: Polícia Civil)

Agentes da Delegacia de Polícia do Capão do Leão prenderam na manhã desta quinta-feira (7), os acusados de executar Renato Beloni, no dia 2 de fevereiro, no loteamento Parque Fragata. O homem foi morto na porta da casa em que morava. O crime aconteceu na frente de uma das filhas da vítima. 

Segundo apontou a investigação da Polícia Civil, Renato foi morto por integrantes da organização criminosa instalada no loteamento após testemunhar na Justiça contra um dos membros do grupo. Em depoimento durante a audiência, Renato disse que estava com medo de ser visto pelos integrantes da organização por temer represálias. Ele foi testemunha de defesa dos antigos administradores do loteamento que também se usavam de métodos escusos para administrar o local. A partir do depoimento da vítima, a organização, então, teria ordenado a execução de Renato que, segundo familiares, era contra a presença de facção no loteamento Parque Fragata. A ordem de execução partiu de dentro do sistema penitenciário. 

Na manhã desta quinta, os policiais cumpriram dois mandados de prisão preventiva contra D.F.B., que já estava recluso no Presídio Regional de Pelotas (PRP), ele foi preso em flagrante pela Brigada Militar no início do mês. L.M.F., que cumpria prisão domiciliar foi preso na casa da namorada, no bairro Jardim América. D.F.B. e L.M.F. possuem  antecedentes por homicídio e tráfico de drogas. 

Relembre

Renato Beloni Viegas foi morto em frente ao imóvel em que morava, na rua Euclides Lopes Vasconcelos. A filha de dez anos  presenciou o crime. Segundo testemunhas, dois homens em uma motocicleta foram à casa de Viegas e o chamaram. Quando Renato saiu na rua, os criminosos atiraram contra ele.

Moradores contaram que logo após a meia-noite diversos estampidos de disparos de arma de fogo foram ouvidos. A perícia apontou que Renato foi alvo de oito tiros.

Pelas redes sociais, familiares contaram que Viegas era um homem trabalhador, sem atencedentes criminais e amoroso com a família. 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados