Nosso Bairro

Indicadores criminais apresentam baixa no São Gonçalo

Números do Observatório de Segurança da prefeitura mostram crescimento apenas para o crime de furtos a residências no bairro

28 de Junho de 2022 - 09h15 Corrigir A + A -

[banner site] nosso bairroSG
“Aqui é muito bom. Eu me sinto segura.” Assim é resumida a vida no Navegantes, pela moradora Mariza Souza, que há 40 anos vive por ali. Ela garante que é um bom lugar de se morar, apesar das fases inseguras. O que, definitivamente, não ocorre neste momento, pelo que mostram os indicadores do Observatório de Segurança Pública de Pelotas. Dos principais indicadores criminais, apenas o furto a residências está em alta em 2022. Na comparação entre 2019 e 2021, todos os números caíram.

Mesmo atendendo atrás de grades, o comerciante Gerson Meireles também comemora a situação da segurança no bairro. Para ele, “a coisa melhorou bastante”. Há cerca de dois anos, chegou a ser vítima de furto, o que o levou a gradear o local, preocupado com a esposa que volta e meia fica sozinha por ali. “Agora está melhor (...) não tenho ouvido falar em assaltos na nossa volta”, celebra. Ainda assim, ele diz que é fundamental a atenção e a criação de políticas públicas que evitem que os mais jovens voltem a rumar ao caminho da criminalidade.

WhatsApp Image 2022-06-27 at 19.48.35
Apesar de ter gradeado seu estabelecimento, Meireles celebra o cenário atual de tranquilidade (Foto: Jô Folha - DP)

Também comerciante, o dono de uma empresa de informática, José Ferreira, diz que hoje se sente mais seguro trabalhando no bairro do que no Centro, pela proximidade com as pessoas. “É mais tranquilo. Já trabalhei em mercado e era tenso”, relembra, citando um passado não longevo em que os assaltos eram mais frequentes dentro da região. Na empresa atual, há oito anos dentro do Navegantes II, ele diz que a sensação é de tranquilidade no dia a dia, sem nunca nem ao menos ter passado por sustos.

Trabalhador de uma empresa no Parque Una, que também fica dentro do bairro São Gonçalo, o jovem Marcos Rosário é outro que ressalta a qualidade da segurança do local, que conta com uma empresa privada. O sócio da Idealiza, André Beiler, ressalta que a ideia faz parte do projeto de oferecer um espaço com qualidade de vida, em que a segurança anda junto com o lazer.  

Números

De acordo com os dados levantados pelo Observatório de Segurança Pública de Pelotas, os crimes com maior recorrência, entre 2019 e os primeiros cinco meses de 2022, na região do São Gonçalo, foram o roubo a pedestres, o furto a residências e de veículos. Os registros são o seguintes:

Roubo a pedestres: 99 crimes (2019), 62 (2020), 52 (2021) e 19 (jan a mai/22).
(Redução de 47,5% comparando 2019 e 2021)

Furto a residência: 34 crimes (2019), 15 (2020), 8 (2021) e 12 (jan a mai/22).
(Redução de 76,5% comparando 2019 e 2021)

Furto de veículos: 20 crimes (2019), 7 (2020), 3 (2021) e 3 (jan a mai/22).
(Redução de 85% comparando 2019 e 2021)
Crimes contra a vida no São Gonçalo (2019/20/21 e 22 - até maio)

Neste período, de 2019 a 2021 e nos primeiros cinco meses de 2022, os registros de crimes contra vida no SãO Gonçalo foram os seguintes:
2019 - 8 crimes
2020 - 5 crimes
2021 - 4 crimes

Janeiro a maio/22 - 1 crime
(Redução de 50% dos crimes contra a vida entre 2019 e 2021)

Para participar do Nosso Bairro!

O DP quer ouvir suas sugestões de pauta e apresentar reivindicações, projetos sociais e bons exemplos de cada localidade de Pelotas. Até agora o Nosso Bairro já cruzou por Laranjal, Areal, Fragata e Três Vendas. Agora, o roteiro está direcionado ao São Gonçalo. Mas a pauta não para por aqui e seguiremos, após as apresentações, abordando a realidade. Portanto, participe! Você pode entrar em contato pelos e-mails nossobairro@diariopopular.com.br e lucas.kurz@diariopopular.com.br ou pelos telefones (53) 3284-7023 ou pelo WhatsApp (53) 99147-4781. Se preferir, pode dirigir-se à sede do Jornal, na rua 15 de Novembro, 718.

 

Propriedade intelectual do Jornal Diário Popular

Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados