Efetivo

Estado recebe o reforço de 84 novos bombeiros militares

Os novos soldados irão reforçar os batalhões de Porto Alegre, São Leopoldo, Rio Grande, Caxias do Sul, Passo Fundo e Canoas, atendendo 27 cidades

20 de Novembro de 2020 - 15h50 Corrigir A + A -

O governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS), celebrou, na manhã desta sexta-feira (20), a formatura de 84 novos soldados. Os militares finalizaram o Curso Básico de Formação Bombeiro Militar (CBFBM) neste mês e estão prontos para integrar as unidades de atendimento do CBMRS no Estado. 

Os novos soldados irão reforçar os batalhões de Porto Alegre, São Leopoldo, Rio Grande, Caxias do Sul, Passo Fundo e Canoas, atendendo 27 cidades. Para fazer a destinação dos novos servidores, de modo a melhor atender todo o Estado, o CBMRS realizou um planejamento estratégico com critérios para lotação. Em primeiro lugar, a corporação distribuiu os novos soldados de forma a manter um efetivo mínimo de 20 bombeiros militares por batalhão, viabilizando desta forma a atuação das guarnições com a quantidade mínima estabelecida, respeitado os afastamentos ordinários e extraordinários. Também foi percebida a necessidade de reforço operacional e na prevenção de incêndios de grandes centros, como Porto Alegre e Canoas.

“A formatura faz parte da nossa estratégia inédita de reforço dos efetivos. Para não deixar abrir defasagem, programamos reposições todos os anos. Estamos trabalhando para oferecer a melhor estrutura física, material, equipamentos e viaturas para o atendimento das funções do Corpo de Bombeiros. Em última instância, nenhum dos equipamentos funciona sem as pessoas, nenhum caminhão salva a vida de quem está ameaçado. São, efetivamente, as pessoas, homens e mulheres que oferecem as próprias vidas para salvar outras”, disse o governador.

formatura bombeiros capital
Os soldados irão reforçar os batalhões de Porto Alegre, São Leopoldo, Rio Grande,
Caxias do Sul, Passo Fundo e Canoas - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

O estudo para destinação de efetivo contempla o Programa Transversal e Estruturante de Segurança Pública RS Seguro, que tem entre as premissas o investimento qualificado para garantir o melhor atendimento ao povo gaúcho. A turma de novos soldados integra o cronograma de reposição de efetivo da Segurança Pública e Administração Penitenciária, lançado pelo governo do Estado em novembro de 2019. Ainda estão previstos dois chamamentos em 2021 para o cargo de soldado do CBMRS, totalizando as 301 vagas abertas.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel César Eduardo Bonfanti, destacou os investimentos do Estado para o CBMRS, mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19. “Melhoramos significativamente as condições de trabalho de nossos servidores, com a aquisição de equipamentos de salvamento, viaturas de combate a incêndio, equipamentos de proteção individual e respiratória. São investimentos que garantem que, até o final do ano, teremos a maior e melhor frota de combate à incêndios da história da capital. Na área de prevenção, conseguimos reduzir os prazos para fornecimento de alvará de proteção contra incêndio a números nunca alcançados, com prazo máximo de 20 dias. Esse é o resultado do investimento do Estado e do empenho de nossos servidores”, declarou.

O secretário adjunto da Segurança Pública, coronel Marcelo Gomes Frota, representou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, afastado do trabalho presencial em recuperação da Covid-19. Oficial Militar do Corpo de Bombeiros, Frota falou sobre a missão de integrar a corporação. “Ser bombeiro é garantir a máxima eficiência na prestação de serviços. O desafio é enorme. O combate aos incêndios, onde quer que eles ocorram, os salvamentos, sejam no mar, em deslizamentos, nas enchentes, na altura ou em águas com visibilidade zero. Ser bombeiro militar é mais do que entrar em uma carreira de Estado, ser bombeiro é atender a uma vocação”, completou.

O edital de chamamento do CBMRS foi publicado em fevereiro deste ano. Os trâmites que antecederam o início do curso foram paralisados em 19 de março, como medida de prevenção contra a disseminação do coronavírus. Os alunos-soldados foram convocados para ingressar no curso de formação em abril, quando já estavam estabelecidos todos os protocolos sanitários para manter o cronograma de chamamento com segurança, evitando o contágio pela Covid-19. As salas de aula foram adaptadas para respeitar o distanciamento social, os alunos-soldados receberam kits de higiene com máscara e álcool gel e o curso de formação finalmente iniciou em 5 de maio, com todas as garantias possíveis de segurança para os alunos e instrutores.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados