Operação Smart

Empresário é preso por receptação

Ele teria comprado um celular furtado de uma loja localizada no centro de Pelotas

05 de Dezembro de 2019 - 16h25 Corrigir A + A -

Investigação da Operação Smart, desencadeada pela 1ª Delegacia de Polícia de Pelotas (DP), prendeu em flagrante um empresário do ramo da construção civil pelo crime de receptação, nesta quinta-feira (5). A Operação Smart visa coibir o comércio de produtos com origem ilícita.

Durante as investigações, o indiciado foi identificado como um dos compradores de smartphones supostamente furtados de uma loja no Centro da cidade. A partir da confirmação de que o celular era oriundo de furto, os agentes da 1ªDP questionaram o homem sobre a procedência e quem teria vendido o aparelho. O empresário, então, confessou que havia comprado o smartphone Motorola One valor com valor bem abaixo do mercado, de um funcionário da loja em que ocorreu o furto dos aparelhos. "Ele afirmou que o produto tinha sido adquirido de um funcionário da própria loja", comentou o titular da 1ª DP, Gustavo Pereira.

De acordo com o delegado, o funcionário da loja foi ouvido e, a partir de agora, a Polícia Civil apura se ele agia sozinho no comércio ilegal e se há a participação de outras pessoas no esquema. "As investigações irão apurar se ele atuava sozinho no comércio ilegal dos aparelhos revendidos na própria loja e que eram feitos registros de furto e se há outras pessoas no envolvidas", explicou Gustavo.

Na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), o empresário foi autuado em flagrante pelo crime de receptação. "Ao ser preso, ele afirmou que o funcionário que lhe vendeu entregou o produto fora da loja e havia prometido no futuro entregar uma nota fiscal. Havia o entendimento por parte do comprador de que o produto não tinha origem lícita", disse o delegado. Devido ao grande número de smartphones furtados desta loja, as investigações continuam pela 1ªDP.

O empresário C.R.G., de 44 anos, pagou fiança e foi liberado. Ele responderá ao processo em liberdade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados