Pandemia

Denúncias que podem ajudar os órgãos de segurança

Aos finais de semana, vários espaços públicos ficam ocupados em Pelotas e a informação facilita o trabalho das equipes

19 de Outubro de 2021 - 10h31 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Cobertura. Desafio é manter guarnições nos locais de movimentação (Foto: Divulgação - DP)

Cobertura. Desafio é manter guarnições nos locais de movimentação (Foto: Divulgação - DP)

Se a vacina contra a Covid-19 tem gerado esperança de um novo normal e mais vidas preservadas, a proteção que o imunizante proporciona, no entanto, não libera as pessoas de seguir as medidas de segurança sanitária, editadas em Decreto Municipal, como o uso de máscara e evitar aglomerações, fato que vem sendo observado pelas ruas de Pelotas, principalmente à noite e aos finais de semana. Carros com som alto e em pontos estratégicos reúnem a juventude da cidade em locais públicos. A fiscalização dos órgãos de segurança segue com as operações, e conta com o apoio da população através da denúncia anônima, considerada bem-vinda pelos órgãos de Segurança Pública.

No último final de semana, 4° BPM, Polícia Civil, Guarda Municipal, Agentes de Trânsito e Mobilidade Urbana, realizaram ações ostensivas de forma integrada, para garantir a preservação e manutenção da ordem pública. Cento e duas pessoas foram abordadas, 80 veículos fiscalizados, sendo que 27 deles geraram autos de infrações. Sete carros acabaram recolhidos. As ações foram em duas avenidas movimentadas da cidade: a Dom Joaquim e a Duque de Caxias. Uma pessoa foi detida por recusa de teste etilômetro e outra por perturbação do sossego.

As equipes integradas atuam nessas situações e acabam por resolver fatos que cabe a sua parte legal. Exemplo: perturbação do sossego com a Brigada Militar; infração de trânsito com os agentes de Trânsito; e a Guarda Municipal nas notificações por aglomeração sem máscara, segundo considera o secretário de Segurança Pública, José Apodi Dourado. “O desafio maior é atuar em tantos lugares. Não temos como fazer isso ao mesmo tempo. Então agimos em pontos específicos, resolvemos e partimos para o próximo. Existe noite que visitamos três vezes o mesmo lugar, justamente pela distância e a quantidade de pontos a serem fiscalizados”, relatou. O secretário alerta que não adianta fazer as denúncias pelas redes sociais depois que o fato ocorrer. “A população deve denunciar no momento que a situação está ocorrendo aos telefones de emergência da GM que é o 153 da GM e 190 da BM.”

Para o comandante interino do 4º Batalhão de Polícia Militar (4ºBPM), major Paulo Renato Scherdien, a questão da vacina passou a deixar as pessoas mais à vontade, embora a orientação seja de uso da máscara e de distanciamento. “Mas com a regra do passaporte vacinal, acreditamos que isso irá mudar ainda mais o comportamento.”

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados