Alerta

Denúncia e registro como ferramentas para acabar com os golpes em Pelotas

Filha de vítima relata os momentos em que seu pai foi chantageado e tirou a própria vida

23 de Outubro de 2020 - 20h07 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

Uma jovem foi presa em flagrante ao sacar dinheiro de uma víma de Santa Catarina. (Foto: Divulgação PC)

Uma jovem foi presa em flagrante ao sacar dinheiro de uma víma de Santa Catarina. (Foto: Divulgação PC)

Ter a intimidade exposta nas redes sociais ou para a família pode causar danos psicológicos irreversíveis. Quando a situação vira uma ameaça, pode levar até a morte. A prisão feita pela 1ª Delegacia de Polícia de Pelotas esta semana de uma jovem de 18 anos envolvida no golpe de nudes encorajou a filha de uma vítima de 73 anos a falar sobre a tristeza de ver o pai consumir-se e tirar a própria vida por não conseguir sustentar a dor de ter sido enganado. Maria (nome fictício) reuniu todas as provas contra os criminosos que extorquiram o idoso e pretende, assim, colaborar com a polícia para que todos os envolvidos sejam descobertos e presos. O exemplo serve para as pessoas que neste momento estão sofrendo algum tipo de ameaça ou golpe, sendo que a melhor saída e denunciar.

Maria conta que o drama do pai teve início quando ele começou a usar as redes sociais. Novato, mostrava para a família como meninas jovens se ofereciam, sem saber que já era alvo dos golpistas. Mesmo com os avisos da família, os contatos evoluíram e, na primeira foto íntima, o inferno começou para o idoso. "A primeira mensagem do suposto pai da menina foi que a vítima mexeu com a filha e que isso não ficaria assim", conta Maria. O primeiro depósito foi de R$ 2,5 mil. A filha ainda está contabilizando os prejuízos, mas sabe que o idoso tentou empréstimos em financeiras. A situação se tornou insustentável e um parente resolveu assumir a identidade da vítima, avisando ao golpista que não faria mais nenhum depósito. Para Maria, imaginava-se que tudo se encerraria. Mas no outro dia, a vítima foi encontrada morta em casa. "Um bilhete com a letra dele, porém muito tremida, pedia para deixar os móveis para uma jovem de Santa Catarina, que ele também conheceu pela internet", relatou. Com todos os recibos de depósitos entregues à polícia, a família espera que a justiça seja feita.

Cartilha

De janeiro até setembro, Pelotas registrou 1.276 casos de estelionato. No Estado passa dos 40,6 mil, o que preocupa cada vez mais as autoridades da área da Segurança Pública. Este ano, uma cartilha foi lançada pelo governo do RS para ajudar as pessoas a não caírem nos golpes da internet, principalmente em meio à pandemia. O documento tem os 15 dos principais golpes que mais vitimam gaúchos na internet. Eles têm a sua forma de operação esmiuçada pela cartilha, que também traz dicas sobre como não cair no conto do vigário. Entre os golpes, estão os do "bilhete premiado" e do "auxílio emergencial", além da "clonagem do WhatsApp" e pode ser acessado pelo link: https://estado.rs.gov.br/upload/arquivos//golpesnainternetcompilado.pdf.

"O golpe do nudes tem sido bem frequente e a prisão da jovem em flagrante sacando o dinheiro de uma vítima foi a primeira efetuada este ano em Pelotas", destacou o titular da 1ª DP, delegado Gustavo Pereira. Para a polícia, o golpe pode partir até mesmo de dentro do presídio. Pereira não descarta a possibilidade do envolvimento de uma organização criminosa. Embora as estatísticas, Gustavo diz acreditar que o número de vítimas ainda é uma cifra fechada, pois as pessoas têm vergonha de revelar a chantagem. "Mas a denúncia e o registro são fundamentais, principalmente se tiver informações de número de depósitos, para chegarmos até os autores."

As denúncias podem ser feitas pelo telefone funcional da 1ª Delegacia de Polícia: (53) 98427-6986, ou na sede da Distrital, praça Piratinino de Almeida, 17.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados