TJ-RS

Decretada prisão de suspeito de matar entregador de gás em Rio Grande

A decisão pela conversão da prisão em flagrante em preventiva é do juiz de Direito Fernando Carneiro da Rosa Aranalde, da 1ª Vara Criminal da Comarca local

25 de Julho de 2020 - 16h24 Corrigir A + A -
Crime aconteceu na rua Dom Pedro II, bairro Getúlio Vargas.

Crime aconteceu na rua Dom Pedro II, bairro Getúlio Vargas.

A Justiça decretou a prisão preventiva do suspeito de matar o ajudante de entregador de gás Márcio André da Conceição Loureiro, 40 anos, na tarde da quarta-feira (22), em Rio Grande. A decisão pela conversão da prisão em flagrante em preventiva é do Juiz de Direito Fernando Carneiro da Rosa Aranalde, da 1ª Vara Criminal da Comarca local.

“Os contornos fáticos do evento delitivo, bem como a periculosidade elevada do investigado, são bastantes a demonstrar que a liberdade pode representar risco à ordem pública”, escreveu o magistrado no despacho em que atende o pedido da autoridade policial.

“Ao que se percebe dos elementos acostados, o investigado lançou-se à prática de justiçamento, executando a vítima (que, ao que se extrai do expediente, sequer teve responsabilidade pelo possível atropelamento) por vingança, após severamente agredida, sem chance de defesa portanto”, completou.

O caso

Conforme a investigação, o episódio que redundou na morte de Márcio André começou com o atropelamento de uma menina, irmã do suspeito, que circulava de bicicleta na rua Dom Pedro II, Bairro Getúlio Vargas. Mário, que esperava junto ao caminhão carregado de botijões de gás enquanto o motorista buscava ajuda, passou a ser agredido e apedrejado por algumas pessoas, o suspeito entre elas. Perseguido quando tentou fugir, Mário finalmente foi atingido pelos tiros que causaram sua morte.

Detido logo depois, o apontado pelo delito prestou depoimento admitindo ter dado os disparos, com a intenção de que a vítima fugisse do local.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados